Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


Etnografia

Tradição de Natal "o Menino mija" resiste nos Açores

 

A tradição do Natal açoriano "O Menino mija", que junta grupos em peregrinação por casas de amigos e familiares, tem perdurado no tempo, constituindo um símbolo do património etnográfico do arquipélago.

"Há tradições que têm vindo a sofrer uma quebra ao longo do tempo, mas sociologicamente esta é uma tradição que perdura no tempo e acredito que irá perdurar, porque envolve o convívio e a proximidade das pessoas numa quadra natalícia que assim se propicia. Acredito que por haver mais disponibilidade das pessoas e mais sensibilidade há esse tipo de interação", afirmou o sociólogo Miguel Brilhante, em declarações à Lusa.

Entre o dia 24 de dezembro e o de Reis (06 de janeiro), vários grupos de homens e mulheres andam de casa em casa visitando familiares e amigos e degustando doces e licores tradicionais, que estão sempre expostos por esta altura nas mesas.

Antes de entrarem, e chegados a estas casas, os grupos perguntam: "O Menino mija?".

"Pode parecer estranho o termo para as pessoas mais leigas na matéria, mas esta frase ou a célebre pergunta nas casas das pessoas acaba por ser uma forma de abrirem as suas portas e partilharem o que têm nesta época natalícia", explicou Miguel Brilhante, acrescentando que esta visita às casas, desde o Natal até aos Reis, acaba por ser a receção de amigos e familiares que muitas vezes não têm lugar à mesa no Natal, por ser mais restrito à família.

Acaba por "haver sempre algo para oferecer nestas casas" e "há sempre algo para partilhar", disse ainda o sociólogo, lembrando que nas mesas, além dos "licores e dos figos passados", estavam sempre presentes "as laranjas, uma tradição que terá advindo da importância" do citrino nas ilhas em meados do século XVIII e XIX, durante o próprio "ciclo da laranja, tão característico dos Açores".


Ler Artigo Completo(Pág.1/2) Página seguinte
Patrocínio
 
4251Visualizações
6Impressões
6Comentários
6Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 
Comentar

Caracteres disponíveis: 750

Receber alerta de resposta Aparecer como Anónimo
Lembrar dados pessoais
  • Comentar

Nota: Os comentários deste site são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Consulte a Conduta do Utilizador, prevista nos Termos de Uso e Política de Privacidade. O DN reserva-se ao direito de apagar os comentários que não cumpram estas regras. Receber alerta de resposta - será enviado um alerta para o seu e-mail sempre que houver uma resposta ao seu comentário. Aparecer como anónimo - os dados (nome e-mail) são ocultados. Os comentários podem demorar alguns segundos para ficarem disponíveis no site.

Se tem conta, faça Login

Email

Password

Legenda

Utilizador RegistadoUtilizador Registado    Utilizador Não RegistadoUtilizador Não Registado





PUB

Especiais

Recuar
Avançar
Continente UVA D'OURO 2014 DN 300x100
Epaper



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Acha que a Guiné Equatorial devia fazer parte da CPLP?

Sim
Não
Só se adotar o português como língua principal
Só depois de dar garantias de que respeita os direitos humanos
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper