Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


Rio Maior

Associação questiona se Loja do Cidadão respeita a lei

por Lusa  

A EICEL 1920 - Associação Para a Defesa do Património Mineiro, Industrial e Arquitetónico, de Rio Maior, questionou o município sobre a volumetria e a inserção urbanística do edifício que vai acolher a Loja do Cidadão, na zona antiga da cidade.

A EICEL remeteu na semana passada um ofício à Assembleia Municipal de Rio Maior, lamentando que, em 11 meses de contactos, a câmara não tenha mostrado o projeto de arquitetura nem os pareceres que fundamentaram a demolição da fachada centenária e a opção pela construção de um edifício que a associação quer saber se respeita o estabelecido na legislação.

Para a EICEL, em causa está o facto de, ao contrário do inicialmente anunciado, não terem sido mantidas as fachadas originais e de o edifício que está a ser construído "aparentemente" não cumprir o índice de construção previsto no Plano Diretor Municipal (PDM) nem as cérceas definidas no Regulamento Geral das Edificações Urbanas (RGEU), revelando uma "volumetria desenquadrada da estrutura urbana na qual se insere".

A presidente da Câmara Municipal de Rio Maior, Isaura Morais (PSD), disse hoje à agência Lusa que a intervenção em curso respeita os pareceres técnicos, segundo os quais a volumetria tem em conta a envolvente, sendo equivalente à de outros edifícios da zona que também têm três pisos (número máximo permitido).

Frisando que se trata de um edifício com fins públicos, que tem de cumprir uma série de requisitos legais, a autarca afirmou que essas condicionantes não permitiram a manutenção da fachada e obrigaram à configuração adotada. "Não há qualquer violação nem das normas do PDM nem do RGEU, que permite exceções para novas edificações que requeiram disposições especiais, como é o caso", afirmou.

Para Isaura Morais, esta construção insere-se no esforço de revitalização do centro antigo da cidade, que, na sua opinião, não deve ser "musealizado", mas antes obedecer a uma estratégia que combata o abandono e a desertificação. O edifício acolherá um espaço polivalente com funções cívicas, lúdicas e sociais, no qual funcionará a futura Loja do Cidadão.


Ler Artigo Completo(Pág.1/2) Página seguinte
Patrocínio
 
1948Visualizações
2Impressões
0Comentários
1Envio
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 
Comentar

Se tem conta, faça Login

Email

Password




PUB

Especiais

Recuar
Avançar
Coleção DN 150 anos - DN Destaque
BT Edições Multimédia
Epaper
Ocasião/Zaask - Destaque 300x100 DN (Limpeza) (19-21Nov)



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

A estação pública RTP faz bem em apresentar proposta para ter os jogos da Liga dos Campeões?

Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper