Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


Extrema-direita

Mário Machado deixou o regime de prisão máxima

por Lusa  

Mário Machado deixou o regime de prisão máxima

O Tribunal de Execução de Penas (TEP) de Lisboa alterou o regime de detenção de Mário Machado em Monsanto, passando o líder dos Hammerskins Portugal de segurança máxima para o regime de prisão comum.

A decisão do TEP, a que a agência Lusa teve acesso, altera para o regime comum a prisão de Mário Machado e revoga a decisão do subdiretor-geral dos Serviços Prisionais, de 14 de março de 2012.

Esta foi a terceira reavaliação da manutenção do regime de segurança máxima, imposta a Mário Machado desde 21 de setembro de 2010.

"O arguido não foi condenado, nem existe informação que se encontre indiciado, pela prática de facto que configure terrorismo, criminalidade violenta ou altamente organizada", refere o juíz do 4.º Juízo do TEP.

Entendeu ainda o magistrado que Mário Machado não apresenta "qualquer comportamento continuado ou isolado que represente perigo sério ou que traduza perigo sério de evasão ou de tirada".

A alteração do regime permitirá a Mário Machado requerer em breve a liberdade condicional, uma vez que já cumpriu metade das penas aplicadas em cúmulo jurídico, que a Relação de Lisboa, em março de 2011, fixou em seis anos e 10 meses a pena de prisão.


Ler Artigo Completo(Pág.1/2) Página seguinte
Patrocínio
 
5853Visualizações
5Impressões
33Comentários
1Envio
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 
Comentar

Se tem conta, faça Login

Email

Password




PUB
PEPE Jornadas Empreendedorismo Turismo - DN Destaque

Especiais

Recuar
Avançar
TSF Superbrand - DN destaque
BT Edições Multimédia
Epaper



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Concorda com a prova de avaliação aos professores?

Sim
Não
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper