Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


Tranquilidade

Chuva veio normalizar os níveis das barragens

por HELDER ROBALO  

Chuva veio normalizar os níveis das barragens

Instituto da Água diz que líquido armazenado é suficiente para todos os usos necessários, incluindo a produção de energia hidroeléctrica. Tempo no País deve começar a melhorar ligeiramente a partir de 6.ª-feira.

A chuva que caiu nos últimos dias melhorou os níveis das barragens, que em mais de vinte casos já estavam abaixo dos 40% da sua capacidade. Uma subida que satisfaz o Instituto da Água, que ainda assim não estava muito preocupado com a chegada tardia da chuva. Isto apesar de o País atravessar uma seca meteorológica.

Segundo o presidente do Inag, Orlando Borges, não chegaram sequer a existir sérias preocupações com a chegada tardia da chuva, considerando mesmo que as barragens "estavam dentro dos valores normais para a época".

O boletim do Inag de Setembro mostrava que, das 56 albufeiras monitorizadas, 21 tinham disponibilidades hídricas inferiores a 40% do volume total e apenas duas apresentavam reservas superiores a 80%. Os índices mais baixos eram registados no Arade e nas bacias do Oeste e do Sado.

No entanto, o presidente do Inag salienta que, mesmo neste período em que não choveu, as barragens "cumpriram a função para que foram feitas, que é armazenar água para os períodos mais críticos". "Os valores hidrológicos armazenados permitiram fazer todos os usos de água, incluindo a própria produção de energia hidroeléctrica", afiança. Orlando Borges recorda inclusive que para abastecimento Portugal tem "sempre armazenado água suficiente para um período de dois anos".

Apesar de assegurar que a chegada tardia das chuvas não constituiu qualquer preocupação para os responsáveis do Inag, Orlando Borges defende que a precipitação que tem caído no País nos últimos dias, naturalmente, "contribui para melhorar os níveis das barragens". Mas, frisa, "o mais importante é que algumas culturas que possam depender mais da água das barragens possam ser abastecidas directamente nos seus terrenos com a água das chuvas".


Ler Artigo Completo(Pág.1/2) Página seguinte
Patrocínio
 
5019Visualizações
1 Impressão
0Comentários
0Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 
Comentar

Caracteres disponíveis: 750

Receber alerta de resposta Aparecer como Anónimo
Lembrar dados pessoais
  • Comentar

Nota: Os comentários deste site são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Consulte a Conduta do Utilizador, prevista nos Termos de Uso e Política de Privacidade. O DN reserva-se ao direito de apagar os comentários que não cumpram estas regras. Receber alerta de resposta - será enviado um alerta para o seu e-mail sempre que houver uma resposta ao seu comentário. Aparecer como anónimo - os dados (nome e-mail) são ocultados. Os comentários podem demorar alguns segundos para ficarem disponíveis no site.

Se tem conta, faça Login

Email

Password

Legenda

Utilizador RegistadoUtilizador Registado    Utilizador Não RegistadoUtilizador Não Registado





PUB
Continente UVA D'OURO 2014 DN 300x100

Especiais

Recuar
Avançar
BT Edições Multimédia
Ocasião/Zaask - Destaque 300x100 DN
Epaper



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Concorda com o endividamento do Estado para injetar 6 mil milhões na economia?

Sim
Não
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper