Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


Polémica Leitor reflete sobre o uso feito...

Os famigerados cartões de crédito

por CARLOS DUARTE, LISBOA  

Não percebo a atual polémica acerca dos famigerados cartões de crédito usados pelos ministros de Portugal para pagamento de despesas de trabalho: na empresa privada onde trabalho, há mais de 20 anos que a todos os empregados com funções que o exijam é entregue um cartão de crédito, para pagamento das despesas de serviço no exterior, devendo o empregado depois entregar na contabilidade o recibo no final do mês. Um cartão de crédito é um meio de pagamento, nada mais, e se um empregado pagar despesas pessoais com ele isso é visto pelo contabilista. Com um ministro deve ser o mesmo: não passa pela cabeça de ninguém um ministro de Portugal ir a Bruxelas, por exemplo, e sacar de dinheiro vivo para pagar o hotel ou jantar, seria até um ato insensato . É lamentável que, por motivos meramente de política baixa, se levantem polémicas que só servem para afastar o Povo dos verdadeiros problemas e da política. E é pena que sejam os juízes, que deveriam ter juízo, a levantá-la. (..)


Patrocínio
 
1075Visualizações
49Impressões
2Comentários
0Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 
VIRIATO SOROMENHO-MARQUES

Era assim que Hobbes chamava ao Estado: o "Deus mortal" (mortal God). Deus, porque só o Estado permite aos homens, frágeis e efémeros na sua solidão individual, reunirem as suas energias numa sociedade...

PAULO BALDAIA

Fazer o que quer que seja ao nível político para tornar Portugal um país mais moderno e menos oneroso para os contribuintes é um bico-de-obra. Uma quase impossibilidade, ditada pela força dos lóbis e pelos...

PEDRO MARQUES LOPES

Não há quem não fale da necessidade de acordos sobre questões importantes para o país entre os dois principais partidos portugueses. Conhecemos demasiado bem as consequências desta infernal revolução permanente...

ALBERTO GONÇALVES

Sem aviso prévio, eis aberto o concurso público alusivo à privatização da TAP. Infelizmente, o concurso em causa não se destina à venda da empresa, mas apenas a apurar o autor da declaração mais pateta...

Comentar

Se tem conta, faça Login

Email

Password




A tragédia portuguesa

"Alegra-te género humano enfermo, porque chegou o remédio para os teus males, porque virá o sol da justiça que trará a saúde nas asas" - Padre António Vieira, século XVII. Este poderia ter sido o discurso...

Tomaz Albuquerque

O sucesso de Alberto da Ponte

 

Poiares Maduro é mais um jovem inexperiente que joga na equipa do "treinador" Passos Coelho. Quando tomou posse, manteve - e bem - o apoio a Alberto da Ponte e aos restantes administradores da RTP. Depois...

Manuel Alexandre, m.alexandre@chello.at

Os liberais e o Papa Francisco

 

(...) Tive o privilégio de, em 1964, ter assistido no Instituto Universitário dos Altos Estudos Internacionais de Genebra a algumas aulas do professor Wilhem Röpke. É considerado uma das figuras mais destacadas...



Raul Fernandes, rap_fernandes@hotmail.com

Para grandes males, grandes remédios

 

Os partidos políticos estão cada vez mais desacreditados e a população está descrente e desiludida com os sucessivos governos. Pensa-se que no seio da classe política a corrupção é generalizada.

Acácio Pinto, acaciomadpinto@gmail.com

Enfrentar a austeridade

 

Apesar da austeridade que os portugueses já suportaram, em consequência do memorando de entendimento, a austeridade não acabou e vamos ter de continuar a sentir-lhe os efeitos, qualquer que seja o governo...



 
Mário Pires Miguel

A extinção do Partido Socialista Francês

 

O primeiro-ministro francês, o Sr. Manuel Valls, propõe a mudança de nome do seu partido, o Partido Socialista Francês.

António J. M. Nunes da Silva, ajmnsilva@gmail.com

A taxa de António Costa e a resposta do CDS

 

A taxa de um euro que António Costa quer impor a turistas que entrem em Lisboa está deixando o CDS de cabeça perdida.


Ver Mais




PUB
PEPE Jornadas Empreendedorismo Turismo - DN Destaque

Especiais

Recuar
Avançar
TSF Superbrand - DN destaque
BT Edições Multimédia
Epaper



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Justifica-se pagar 1500 euros para garantir médicos nas urgências no Natal e Ano Novo?

Sim
Não
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper