Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


direito de resposta

Interpretações das metas curriculares

 

Ao abrigo da Lei de Imprensa n.º2/99, de 13 de janeiro, artigos 24.º, 25.º e 26.º, o DN recebeu dos autores do documento "Metas Curriculares - Ensino Básico - Matemática" (António Bivar, Carlos Grosso, Filipe Oliveira, Maria Clementina Timóteo) o Direito de Resposta a um comentário de Pedro Tadeu intilulado "Nuno Crato vai criar uma data de Génios", sobre as metas que os professores do ensino básico têm de cumprir, publicado na página 7, dia 3 de julho de 2012, que aqui reproduzimos:

[...]Com o objetivo de corrigir erros factuais e interpretações inadequadas [...[, a equipa de autores do documento "Metas Curriculares -Ensino Básico - Matemática" esclarece:

1. O autor escreve: "Achei graça àquele que pede aos alunos do 6.º ano para partirem do algoritmo de Euclides para deduzirem o Teorema Fundamental da Aritmética."

É simplesmente falso que tal tarefa seja solicitada aos alunos. Apenas se pede aquilo que já é tradicionalmente lecionado no 2.º ciclo e que consta do programa. De facto, no item relativo ao Teorema Fundamental da Aritmética (página 39) pode ler-se: "Saber, dado um número natural superior a 1, que existe uma única sequência crescente em sentido lato de números primos cujo produto é igual a esse número, designar esta propriedade por "Teorema Fundamental da Aritmética" e decompor números naturais em produto de fatores primos." Como se vê, não há aqui qualquer referência ao algoritmo de Euclides. Aliás, neste descritor, ao contrário do que se passa em outros casos, apenas se pede ao aluno que conheça o resultado, sem se exigir uma justificação. De facto, na secção "Leitura das Metas Curriculares do 2.º ciclo" (página 30), indica-se qual a interpretação a dar aqui ao verbo "Saber": "Saber": Pretende-se que o aluno conheça o resultado, mas sem que lhe seja exigida qualquer justificação ou verificação concreta. É verdade que o algoritmo de Euclides permite provar o teorema fundamental da aritmética; aliás isso encontra-se referido na introdução dirigida aos professores, com o objetivo de clarificar a opção tomada de divisão por anos destes conteúdos. No entanto, não existe, obviamente, qualquer objetivo geral ou descritor que peça aos alunos uma tal demonstração.

2. Relativamente às considerações tecidas pelo autor sobre alguns conteúdos geométricos do 1.º ciclo, remetemos também para a secção "Leitura das Metas Curriculares do 1.º ciclo", na página 3: "Identificar", "designar": O aluno deve utilizar corretamente a designação referida, não se exigindo, neste ciclo, que enuncie formalmente as definições indicadas, mas antes que reconheça os diferentes objetos e conceitos em exemplos concretos, desenhos, etc. "Reconhecer": Neste ciclo pretende-se que o aluno reconheça intuitivamente a veracidade do enunciado em causa em exemplos concretos. Em casos muito simples, poderá apresentar argumentos que envolvam outros resultados já estudados e que expliquem a validade do enunciado. Esperamos, naturalmente, nesta fase de consulta pública, receber críticas que resultem de uma leitura cuidada do documento e que nos possam ajudar a melhorá-lo.


Ler Artigo Completo(Pág.1/2) Página seguinte
Patrocínio
 
11596Visualizações
15Impressões
4Comentários
6Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 
RELACIONADO
 
JOEL NETO

1 Não me parece que devamos centrar a leitura dos dados de audiências relativos a programas com apresentador ou pivô, elencados há dias pela Marktest, no potencial audimétrico dos respetivos profissionais...

FERREIRA FERNANDES

O jornal francês Le Monde faz 70 anos em dezembro e, já neste verão, tem-nos apresentado uma série de textos sobre si próprio. Eles farão parte parte de um livro, a publicar em breve, sobre "a história...

ANSELMO BORGES

O mundo não é igual para todos. O mundo visto a partir de uma grande metrópole não coincide com o que se vê a partir do campo. Uma família feliz e uma família desgraçada não olham para o mundo do mesmo...

FILOMENA MARTINS

Portugal é o País das Comissões e dos Grupos de Trabalho (PCGT). Não há Governo que não os use para estudar e produzir aconselhamento sobre todo e qualquer assunto. O atual tem criado um novo a cada...

JOÃO MARCELINO

1 A detenção de Ricardo Salgado para prestar declarações como arguido, suspeito do cometimento de vários crimes fiscais e financeiros, é um momento importante para a sociedade portuguesa. No futuro se...

Comentar

Caracteres disponíveis: 750

Receber alerta de resposta Aparecer como Anónimo
Lembrar dados pessoais
  • Comentar

Nota: Os comentários deste site são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Consulte a Conduta do Utilizador, prevista nos Termos de Uso e Política de Privacidade. O DN reserva-se ao direito de apagar os comentários que não cumpram estas regras. Receber alerta de resposta - será enviado um alerta para o seu e-mail sempre que houver uma resposta ao seu comentário. Aparecer como anónimo - os dados (nome e-mail) são ocultados. Os comentários podem demorar alguns segundos para ficarem disponíveis no site.

Se tem conta, faça Login

Email

Password

Legenda

Utilizador RegistadoUtilizador Registado    Utilizador Não RegistadoUtilizador Não Registado








PUB

Especiais

Recuar
Avançar
Continente UVA D'OURO 2014 DN 300x100
Epaper



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Concorda com a formação de turmas de nível, que separam os bons dos maus alunos?

Sim
Não
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper