Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


PEDRO TADEU

O pior da manifestação é mesmo o dia seguinte

por PEDRO TADEU  

O problema das enormes manifestações, como a de sábado passado, é o dia seguinte, quando se exige um pouco mais de nós do que uma pueril discussão sobre o alegado milhão ou os supostos 500 mil que realmente protestaram nas ruas.

No dia seguinte, dizem os defensores do Governo, ninguém apresenta alternativas às políticas de Pedro Passos Coelho. Isso não é, simplesmente, verdade. PS, PCP e Bloco, inúmeros economistas (independentes, de esquerda, do "centrão", gente biograficamente ligada ao PSD e ao PP), jornalistas, vários académicos, todos os parceiros sociais e até intelectuais estrangeiros têm listado, com maior ou menor arrojo, com maior ou menor dissonância em relação ao programa vigente, inúmeras ideias diferentes, de pormenor ou de fundo, para tentar melhorar a situação. Só por desonestidade intelectual se pode dizer que todas elas são irrealismo radical impraticável, demagogia populista ou ilusão revolucionária anacrónica.

Não chega. A verdade é que no dia seguinte a estas manifestações nada junta num projeto de poder os que se uniram para cantar a Grândola. Reconheço isto, por muito que me entristeça. Nem sequer uma bandeira, pois até o lema usado sábado, "Que se Lixe a Troika", não é consensual.

Limitou-se aquela participação cívica, notavelmente pacífica, a ser uma mera libertação coletiva de bílis? Foi apenas uma catarse inconsequente? Se houvesse amanhã eleições, em que votaria a maioria dos manifestantes? Será que iria, sequer, votar ?...

Com a perspetiva de suceder à atual coligação do poder uma aliança PS/PP e uma austeridade semelhante à atual, quantos dos que escreveram em cartão canelado palavras de amargura e desespero, para mostrar ao País a sua indignação, estão dispostos a alinhar, de novo, no jogo da alternância, da roleta "mais do mesmo", onde perdemos, suavemente, as fichas de democracia?


Ler Artigo Completo(Pág.1/2) Página seguinte
Patrocínio
 
8800Visualizações
27Impressões
148Comentários
6Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 
JOEL NETO

Um dia destes, o meu sobrinho pediu-me para lhe fazer o nó a uma gravata. Pôs o seu ar mais convencido e esticou-me a gravatinha azul da filarmónica, com um trejeito negligée que Miguel Ângelo poderia...

MÁRIO SOARES

O mundo continua a conhecer situações muito difíceis. Tudo tem vindo a modificar-se aceleradamente. As guerras inter-Estados nunca foram tantas como agora e tão graves. Os oceanos, tanto o Pacífico como...

PEDRO TADEU

Ernesto mostrou a convocatória à funcionária: "a senhora diretora chamou-me para uma reunião", informou. "Ah, estava convencida que não aparecia...", respondeu-lhe ela, expressão vaga, a desviar o olhar...

FERREIRA FERNANDES

Como diz Ralf Herrenbrük, o procurador que investiga o desastre: "Por favor, compreendam que o procurador do Estado não pode nem quer especular sobre os motivos do falecido co-piloto." E concluiu: "As...


Portugal não é a Baviera

por Vítor Colaço Santos, cyntrascrita@hotmail.com

O DN está aberto à participação dos leitores. Use o email jornalismodecidadao@dn.pt para publicar online os seus artigos, fotos ou videos. Publique os seus SMS usando o número 96 100 200

Ver mais





PUB
NOS ConferênciaPrémioInovaçãoNOS - DN Destaque

Especiais

Recuar
Avançar
Conferência 3º Aniv DV - DN Destaque Évora (Mar2015)
PEPE Jornadas Empreendedorismo Turismo - DN Destaque
Continente UVA D'OURO 2015 DN 300x100
Epaper



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Que avaliação faz ao combate ao crime em Portugal?

Muito positiva
Positiva
Negativa

Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper