Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


BERNARDO PIRES DE LIMA

Obama 'vs.' Rubio

por BERNARDO PIRES DE LIMA  

O primeiro discurso de Obama sobre o "estado da União" foi marcado pela gestão do pânico quando o défice chegou aos 10%. Assim seria todo o mandato: controlar os triplos danos da crise, os provocados pelo sector bancário no mercado da habitação, os que degeneraram em falências e desemprego e os que trouxeram duas prolongadas guerras. Neste início de segundo mandato, o mote altera-se com as circunstâncias. O último ano fiscal pôs o défice nos 5,3%, a economia mantém crescimento sustentável, o desemprego baixou e a guerra do Iraque terminou. Hoje à noite quando discursar no Congresso, Obama apontará baterias para a classe média, deixando espaço para o esforço bipartidário na redução do défice. Ou seja, primeiro a economia, depois as finanças.

E depois? Medidas para a educação, infraestruturas (quantas delas obsoletas), independência energética e potencial industrial (ou, se lhe quisermos chamar, o pânico chinês). Mas será um tom positivo e motivador a percorrer todo o discurso, gerando confiança depois da ação judicial contra a S&P. É um ciclo que se fecha e outro que se quer abrir. É ainda provável que aborde reformas na Defesa, em especial a redução das armas nucleares (do agrado de Chuck Hagel), falando em poupança, sem esquecer que precisa de acompanhamento russo. Será difícil que Moscovo alinhe e que os republicanos não saltem das cadeiras (não para aplaudir).

A segunda parte da noite está reservada para Marco Rubio, o político do momento e o escolhido para a resposta oficial do GOP. Responderá em inglês e espanhol (inédito) e mostrará as incongruências de Obama: aumento brutal do peso do estado; coube a Rubio a iniciativa sobre a prometida reforma da lei de imigração; não há geração de emprego capaz de impor a América no mundo; a retração estratégica só motiva a ascensão de outras potências. É nos vazios de Obama que Rubio pode emergir.


Patrocínio
 
3430Visualizações
14Impressões
1 Comentário
8Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 

A cidade e o nexo*

por Brassalano Graça, licenciado em Jornalismo

O DN está aberto à participação dos leitores. Use o email jornalismodecidadao@dn.pt para publicar online os seus artigos, fotos ou videos. Publique os seus SMS usando o número 96 100 200

Ver mais
Comentar

Caracteres disponíveis: 750

Receber alerta de resposta Aparecer como Anónimo
Lembrar dados pessoais
  • Comentar

Nota: Os comentários deste site são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Consulte a Conduta do Utilizador, prevista nos Termos de Uso e Política de Privacidade. O DN reserva-se ao direito de apagar os comentários que não cumpram estas regras. Receber alerta de resposta - será enviado um alerta para o seu e-mail sempre que houver uma resposta ao seu comentário. Aparecer como anónimo - os dados (nome e-mail) são ocultados. Os comentários podem demorar alguns segundos para ficarem disponíveis no site.

Se tem conta, faça Login

Email

Password

Legenda

Utilizador RegistadoUtilizador Registado    Utilizador Não RegistadoUtilizador Não Registado




BERNARDO PIRES DE LIMA

Vontades ucranianas

por BERNARDO PIRES DE LIMA

 

Ao contrário do que parece, o presidente Porochenko foi um dos grandes derrotados nas legislativas ucranianas. O seu projeto passava por um resultado que lhe permitisse ter um PM leal e submisso, mas os...


Ver Mais




PUB

Especiais

Recuar
Avançar
BT Edições Multimédia
Epaper
Ocasião/Zaask - Destaque 300x100 DN



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Pensa que Jorge Jesus devia entrar na lista para o prémio de Melhor Treinador do Mundo?

Sim
Não
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper