Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


BERNARDO PIRES DE LIMA

Kerry & Hagel

por BERNARDO PIRES DE LIMA  

A nova equipa de segurança e política externa de Obama está prestes a oficializar-se. Depois de John Kerry ter sido confirmado pelo Senado, hoje é a vez de Chuck Hagel. E um dos dilemas que os três terão pela frente chama-se Síria. Mas será mesmo um dilema para Washington? A ver pela audição de Kerry e pelas entrevistas mais recentes de Hagel, os EUA vão manter a gestão da crise à distância, "confortáveis" com a paralisação do Conselho de Segurança (Moscovo acaba por arcar com todas as culpas), embora de prevenção sobre três frentes. A primeira, na linha vermelha definida pela administração: se Assad usar armas químicas contra civis o quadro altera-se imediatamente. A segunda, se a Turquia for alvo de ataques (e novo massacre ocorreu há dias lá perto), agora que os Patriot da NATO estão colocados na fronteira com a Síria. A terceira, se Israel antecipar um ataque às muitas movimentações que o Hezbollah tem feito com a ajuda de Assad e de Teerão. Não por acaso, Telavive já colocou duas baterias de escudo antimíssil no Norte de Israel. Ou seja, os EUA e os aliados europeus podem ser empurrados para um cenário por interposta razão. Digo isto porque Kerry e Hagel, embora de partidos diferentes, têm uma conceção próxima e restrita do uso da força. O primeiro, que apoiou os termos americanos da intervenção na Líbia, teme o colapso do Estado, do território sírio, e a posse de armas químicas por grupos terroristas como a Jabhat al-Nusra. Esta, a crescer em recrutamento e em ações, aumentará o ritmo à medida que a oposição, sobretudo sunita, não vir fim à vista no conflito nem uma ajuda militar do exterior. Já Hagel gosta de uma ação americana, digamos, tão restrita como independente, no sentido em que é Washington que determina o tempo e o modo de atuação. Não é por acaso que a crise do Suez e Eisenhower são os exemplos que mais gosta de citar.


Patrocínio
 
3397Visualizações
15Impressões
2Comentários
6Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 

Os bens comuns da União Europeia

por António Covas, acovas@ualg.pt

O DN está aberto à participação dos leitores. Use o email jornalismodecidadao@dn.pt para publicar online os seus artigos, fotos ou videos. Publique os seus SMS usando o número 96 100 200

Ver mais

BERNARDO PIRES DE LIMA

Refugiados

por BERNARDO PIRES DE LIMA

 

A Europa não vive uma comum crise migratória, vive uma extraordinária crise de refugiados. Um migrante deixa de o ser a partir do momento em que foge de um conflito ou de perseguições (a esmagadora maioria...


Ver Mais




PUB

NOTÍCIAS Mais VISTAS

Continente UVA D'OURO 2015 DN 300x100
Btn EdMultimedia - Geral



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Agora que Pedro Santana Lopes se afastou da corrida, quem pensa que seria melhor candidato presidencial da direita?

Marcelo Rebelo de Sousa
Rui Rio
Deveriam ambos candidatar-se
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper