Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


FERNANDO SEARA
NOTAS SOLTAS

Postal de Sintra (II)

por FERNANDO SEARA  

Nestes tempos em que se exige bom senso e prudência e em que se sente uma verdadeira esquizofrenia política permitam-me que desde Sintra envie um outro "postal". Tenho a sensação que seria bem importante que alguns titulares governativos - e outros com idênticas pretensões... - tivessem tido uma experiência autárquica para perceberem a necessidade de ponderarem medidas, de escutarem críticas, de ouvirem personalidades diferentes, de terem a ousadia de sentirem as angústias, de assumirem o "não". É que a experiência do poder não é, apenas, o exercício da autoridade ou a mera delícia, sempre subjetiva, de uma influência que é sempre tão transitória quanto enganadora. O mundo da política está cheio de bajuladores e de "adesivos". Em tempo de dificuldades de emprego - e de trabalho! - o número de "adesivos" aumentou... Basta olhar para pretensos e renovados institutos, empresas, direções-gerais... Sob a capa do "emagrecimento" do Estado...

Mas regressemos a Sintra. Percorramos este espaço único que, para muitos, foi, desde sempre, uma fuga "à realidade de todos os dias"... Avancemos pela Quinta da Regaleira... que era e continua a ser um regalo para os olhos e para os outros sentidos. A Regaleira de Carvalho Monteiro, concebida a quatro mãos com o cenógrafo Luigi Manini.

Também me refiro à Sintra do nosso Eça e dos Maias, do Cruges, a quem não se perdoava se se esquecesse das queijadas...

À Sintra do Mistério da Estrada de Sintra, a meias, de mãos dadas com Ramalho Ortigão, o janota da corte de Dom Carlos, com "calotes" na Alfaiataria Christian Keil, pai do autor da música do nosso Hino Nacional, Alfredo Keil, também ele amante da paisagem sintrense, ali mais para os lados da Praia das Maçãs!

À Sintra para onde se sentia "exilado" Mouzinho de Albuquerque... Sim esse mesmo, o que foi governador-geral de Moçambique, tendo resignado, diz-se, sob pressão, e mais tarde convidado por Dom Carlos para acompanhar a educação do príncipe Dom Luís Filipe de Bragança. Há registos dos seus desabafos na Pena: "Cá estou eu em Sintra a "aiar" (de "aio") ou referindo-se aos invernos sintrenses: "Está um frio obsceno!", o que só mesmo os que conhecem Sintra reconhecem a finura da frase. Com adaptações aos dias de hoje...


Ler Artigo Completo(Pág.1/3) Página seguinte
Patrocínio
 
3475Visualizações
9Impressões
20Comentários
0Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 

A cidade e o nexo*

por Brassalano Graça, licenciado em Jornalismo

O DN está aberto à participação dos leitores. Use o email jornalismodecidadao@dn.pt para publicar online os seus artigos, fotos ou videos. Publique os seus SMS usando o número 96 100 200

Ver mais
Comentar

Caracteres disponíveis: 750

Receber alerta de resposta Aparecer como Anónimo
Lembrar dados pessoais
  • Comentar

Nota: Os comentários deste site são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Consulte a Conduta do Utilizador, prevista nos Termos de Uso e Política de Privacidade. O DN reserva-se ao direito de apagar os comentários que não cumpram estas regras. Receber alerta de resposta - será enviado um alerta para o seu e-mail sempre que houver uma resposta ao seu comentário. Aparecer como anónimo - os dados (nome e-mail) são ocultados. Os comentários podem demorar alguns segundos para ficarem disponíveis no site.

Se tem conta, faça Login

Email

Password

Legenda

Utilizador RegistadoUtilizador Registado    Utilizador Não RegistadoUtilizador Não Registado




FERNANDO SEARA

Âncoras

por FERNANDO SEARA

 

1 Permitam-me uma nota pessoal. De arranque destas notas quinzenais, mas também de memória e reconhecimento. Quando se perde a Mãe - aqui a Senhora Minha Mãe - perde-se uma das nossas âncoras. Na passada...


Ver Mais




PUB

Especiais

Recuar
Avançar
BT Edições Multimédia
Epaper
Ocasião/Zaask - Destaque 300x100 DN



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Acha que nestes anos de crise tem vindo a poupar?

Mais
Menos
Ou a mesma coisa
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper