Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


BERNARDO PIRES DE LIMA

Fósforo político

por BERNARDO PIRES DE LIMA  

Xanana Gusmão tem toda a legitimidade para formar Governo com quem quiser. Ganhou as eleições, há partidos que garantem maioria parlamentar e as divergências com a Fretilin aparentemente impedem uma grande coligação estável e coerente. Politicamente, há um argumento curioso levantado pelo CNRT para excluir a Fretilin da coligação: a necessidade de existir uma oposição forte no Parlamento, que fiscalize o executivo, previna abusos de poder e sirva o regular processo democrático. Este argumento seria interessante se a tese que lhe dá origem fosse tão pura como a descrevemos. A Fretilin argumenta que não é. E a julgar pela justificação pública dada pelo CNRT para compor a ideia da exclusão do partido de Alkatiri, verificamos que elas se centram num rol de acusações incendiárias sem qualquer espírito construtivo. Ou seja, primeiro infantiliza-se o derrotado dizendo-lhe expressamente qual o lugar que lhe compete ocupar e o papel que deve desempenhar - como se as eleições e a democracia não se encarregassem de os definir naturalmente; segundo, abre-se um clima de hostilidade que mina, à partida, qualquer cooperação institucional. E a grande verdade é que ela é mais necessária hoje do que nunca. Timor-Leste precisa de sair da condição de falhado, ultrapassar anátemas sociais, integrar-se na região, subir patamares diplomáticos, atrair investimento e usar com justiça os recursos naturais. Para isto são imprescindíveis dois ingredientes: segurança e estabilidade política. A primeira não está garantida, a ver pela violência dos últimos dias, e o calendário de retirada da ONU pode (e deve) ser reconsiderado - Portugal tem aqui um papel de sensatez a cumprir no Conselho de Segurança. A segunda, aparentemente conquistada pela maioria parlamentar, não começou bem. A oposição deve ser um posto institucional. E como tal escusa de ser inflamada a gasolina.


Patrocínio
 
3779Visualizações
22Impressões
1 Comentário
7Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 

A cidade e o nexo*

por Brassalano Graça, licenciado em Jornalismo

O DN está aberto à participação dos leitores. Use o email jornalismodecidadao@dn.pt para publicar online os seus artigos, fotos ou videos. Publique os seus SMS usando o número 96 100 200

Ver mais
Comentar

Caracteres disponíveis: 750

Receber alerta de resposta Aparecer como Anónimo
Lembrar dados pessoais
  • Comentar

Nota: Os comentários deste site são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Consulte a Conduta do Utilizador, prevista nos Termos de Uso e Política de Privacidade. O DN reserva-se ao direito de apagar os comentários que não cumpram estas regras. Receber alerta de resposta - será enviado um alerta para o seu e-mail sempre que houver uma resposta ao seu comentário. Aparecer como anónimo - os dados (nome e-mail) são ocultados. Os comentários podem demorar alguns segundos para ficarem disponíveis no site.

Se tem conta, faça Login

Email

Password

Legenda

Utilizador RegistadoUtilizador Registado    Utilizador Não RegistadoUtilizador Não Registado




BERNARDO PIRES DE LIMA

Um cético confessa-se

por BERNARDO PIRES DE LIMA

 

Quando, em junho, Juncker saiu do Conselho como novo presidente da Comissão, defendi tratar-se da escolha errada por representar três anátemas ao momento que a UE atravessa: a vitória da veterania eurocrata...


Ver Mais




PUB

Especiais

Recuar
Avançar
BT Edições Multimédia
Epaper
Ocasião/Zaask - Destaque 300x100 DN



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Governo devia fiscalizar empresas que contratam enfermeiros abaixo da tabela?

Sim
Não
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper