Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


FERREIRA FERNANDES
um ponto é tudo

Filosoficamente até ganhámos

por FERREIRA FERNANDES  

Quando se soube que os penáltis eram no lado Sul, este explodiu em alegria. Futebol é emoção e quem é melhor servido tem a maior emoção. E já que estou com a mão na massa da palavra, lembro que emoção é, pela sua raiz, movimento, ato de deslocar... Ontem Portugal começou por ganhar uma tese: deu cabo, em 90 minutos, do tique-taque, languidez de poeta romântico. Obrigámos o adversário a mudar de filosofia de jogo e Iniesta, para falar do melhor deles, deixou de ser tuberculoso afetado e passou a jogar rasgando como é próprio de quem se ilumina por holofotes e não por Lua cheia. Claro que isto de ser professor de filosofia e jogador de futebol ao mesmo tempo também cansa, chegámos exaustos ao prolongamento. Aí, os nossos ex-alunos dos 90 minutos precedentes já foram e, pela primeira vez, superiores. Antes dos penáltis, ao contrário do que diziam os locutores, não era 0-0, mas 1-1, nós com uma lição dada e eles com uma lição aprendida. Com os penáltis eu já me estava nas tintas para a docência e só queria era ganhar de que forma fosse. Pelo azar de Piqué em chutar relva, por encandeamento de Casillas, por uma síncope (ligeira) de Ramos, o que quiserem. Não aconteceu. Fiquei tão irritado, tão triste... Mas o que é bom com as emoções do futebol é que elas passam e se repetem. Amanhã, eu atravessarei a rua para dizer ao Moutinho e ao Bruno Alves que gosto muito deles. Interesseiro, preciso deles para as minhas emoções.


Patrocínio
 
3762Visualizações
15Impressões
16Comentários
4Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 
PAULO BALDAIA

A Justiça, percorrendo o caminho que tem de percorrer, provocou um verdadeiro terramoto político que terá consequências ainda difíceis de prever. Saímos do Verão e entramos no Outono sem que nenhum poder...

ALBERTO GONÇALVES

Não se comenta processos judiciais em curso. Não se deve incorrer em juízos precipitados. É preciso aguardar que a Justiça siga o seu rumo. Há que levar a sério a separação de poderes. Esta situação é...

PEDRO MARQUES LOPES

1 Esta crónica já estava escrita, chamava-se "Telegramas do manicómio". Era acerca da única e exclusiva responsabilidade de Carlos Costa na solução encontrada para o BES e do facto dum governo ter prescindido...


A pobreza na União Europeia

por João Nobre, joaonobre_1988@hotmail.com

O DN está aberto à participação dos leitores. Use o email jornalismodecidadao@dn.pt para publicar online os seus artigos, fotos ou videos. Publique os seus SMS usando o número 96 100 200

Ver mais
Comentar

Se tem conta, faça Login

Email

Password







PUB

Especiais

Recuar
Avançar
Coleção DN 150 anos - DN Destaque
BT Edições Multimédia
Epaper
Ocasião/Zaask - Destaque 300x100 DN (Pintura) (22-24Nov)



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Como classifica a atuação da justiça portuguesa nos últimos meses?

Muito boa
Boa
Média

Muito má
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper