Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


BERNARDO PIRES DE LIMA
análise

Timor, apesar de tudo

por BERNARDO PIRES DE LIMA  

As mudanças na Indonésia, a capacidade diplomática portuguesa e a mediação das Nações Unidas ajudaram a enquadrar a independência de Timor-Leste. Uma década depois, a Indonésia está no G20, a diplomacia portuguesa adapta-se ao ocaso europeu, as Nações Unidas resistem à mudança e Timor-Leste entra numa era decisiva da sua curta vivência democrática: a preparação da transição das lideranças políticas com uma legitimidade revolucionária (Xanana, Ruak, entre outros) para uma nova geração política que cresceu na independência. Para que esta segunda década seja como todos desejam, é preciso uma governação estável, uma reforma prudente do sector da segurança, a redução maciça da pobreza, coesão social e o incremento da iniciativa privada capaz de criar um ambiente empresarial com condições de estruturar uma classe média timorense. Podemos dizer que Timor-Leste é um caso de sucesso no histórico de falhanços das missões da ONU. Apesar dos momentos de violência, uma Constituição foi aprovada, conduziram-se eleições representativas, há investimento estrangeiro, regime fiscal atrativo e um potencial turístico enorme. Tem riqueza energética, está geograficamente bem colocado, tem uma ponte com a lusofonia e a Europa e está a caminho de entrar na ASEAN. Falta o resto. E o resto é controlar a inflação, os níveis de pobreza e mortalidade infantil, trabalhar infraestruturas (para onde vai metade do orçamento deste ano) e acautelar o impacto da alta natalidade na economia e educação. Um ponto importante passa por desenhar o papel futuro da ONU. É um caso em negociação, mas a pressa na retirada não deve ser um dogma. Se há coisa que a ONU precisa é de casos positivos nas suas missões. E, mais uma vez, Portugal deve contribuir para uma boa solução, que não inverta o alcançado ou prejudique a relação com Díli. Se queremos pontes com a Ásia, esta é uma das mais importantes.


Patrocínio
 
4213Visualizações
27Impressões
0Comentários
12Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 

Portugal não é a Baviera

por Vítor Colaço Santos, cyntrascrita@hotmail.com

O DN está aberto à participação dos leitores. Use o email jornalismodecidadao@dn.pt para publicar online os seus artigos, fotos ou videos. Publique os seus SMS usando o número 96 100 200

Ver mais

BERNARDO PIRES DE LIMA

Portugal energético

por BERNARDO PIRES DE LIMA

 

Portugal pode ser periférico na Europa, mas é central na bacia atlântica e é neste equilíbrio que a sua política externa tem de ser redesenhada. Estando na linha da frente na defesa do TTIP, pelo potencial...


Ver Mais




PUB
NOS ConferênciaPrémioInovaçãoNOS - DN Destaque

Especiais

Recuar
Avançar
Conferência 3º Aniv DV - DN Destaque Évora (Mar2015)
PEPE Jornadas Empreendedorismo Turismo - DN Destaque
Continente UVA D'OURO 2015 DN 300x100
Epaper



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Como classifica a exibição da Seleção de Portugal frente à Sérvia?

Muito boa
Boa
Suficiente
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper