Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


VIRIATO SOROMENHO-MARQUES
opinião

O que devemos a Gorbachev

por VIRIATO SOROMENHO-MARQUES  

Ao longo do próximo mês, o município de Arcos de Valdevez será o centro de uma homenagem, nacional, mas também mundial, a um dos maiores estadistas de sempre. Com efeito, sem a acção de Mikhail Gorbachev não teria sido possível libertar a humanidade do flagelo de uma guerra nuclear de aniquilação. Ele foi também um dos primeiros líderes mundiais a dar corpo à tese de que só vencendo a crise global do ambiente poderemos consolidar uma paz verdadeira.

Em Março de 1985, quando Mikhail Gorbachev recebeu sobre os seus ombros o fardo de dirigir a URSS, as doutrinas e as armas haviam mudado profundamente. A Leste e a Ocidente, vozes se erguiam afirmando que, afinal, a guerra nuclear poderia ser travada sem atingir um nível de destruição apocalíptico. A Europa Central poderia tornar-se no campo de batalha de uma guerra onde as armas nucleares poderiam ser usadas com um certo grau de "racionalidade estratégica". E elas já estavam colocadas no terreno: os mísseis soviéticos SS-20, ou os Pershing II, e os mísseis de cruzeiro norte-americanos.

A decisão pela paz de Gorbachev, quando a guerra seria a via mais provável, transformou-se numa oportunidade única, não apenas para o seu país e para o sistema internacional, mas para a vida de centenas de milhões de seres humanos cujas existências não foram devoradas nas chamas de um conflitos cruel, e para o resto da humanidade, que estaria condenada a sobreviver num mar de ruínas, sofrimento e barbárie. Afastado do poder, Gorbachev criou a organização de defesa do Ambiente Cruz Verde Internacional, mostrando que a paz só poderá ser mantida se soubermos habitar sabiamente a Terra.

Podemos não o saber, mas todos lhe devemos algo de fundamental nas nossas vidas.


Patrocínio
 
2936Visualizações
30Impressões
4Comentários
2Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 

Os mesmos atos não trarão resultado diferente

por Pedro Furtado Correia, pmmsfc@gmail.com

O DN está aberto à participação dos leitores. Use o email jornalismodecidadao@dn.pt para publicar online os seus artigos, fotos ou videos. Publique os seus SMS usando o número 96 100 200

Ver mais

VIRIATO SOROMENHO MARQUES

O vazio como política

por VIRIATO SOROMENHO MARQUES

 

As propostas de Hollande para a criação de uma vanguarda política dentro da zona euro, formada pelos seis países iniciais da CECA (Comunidade Europeia do Carvão e do Aço), foram recebidas, para ser benevolente...


Ver Mais





PUB

NOTÍCIAS Mais VISTAS

Continente UVA D'OURO 2015 DN 300x100
Btn EdMultimedia - Geral



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Acha que Pedro Proença é a melhor pessoa para dirigir a Liga?

Sim
Não, Luís Duque seria melhor
Não, outra opção seria melhor
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper