Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


dngente

Um português que ama Portugal a partir de Espanha

por

HUGO GONÇALVES, Madrid

GONÇALO FERNANDES SANTOS-NM  

José Filipe Torres. Criou uma empresa de marketing de países (country branding) há cinco anos. Hoje, a companhia está na lista das cem mais inovadoras de Espanha e tem escritórios em vários países. Chegou a Madrid sozinho, mas continua a dizer que é a melhor cidade para viver .

Quando os portugueses lhe perguntam porque, gostando tanto do seu país, prefere estar em Madrid, José Filipe Torres, 31 anos, tem duas respostas: "Porque aqui as pessoas estão contentes. E porque posso fazer mais por Portugal estando fora." Chegou a Madrid há cinco anos e a sua empresa, Bloom Consulting, entrou na lista das cem companhias mais inovadoras de Espanha. Tem escritórios em seis cidades - Madrid, Lisboa, Copenhaga, São Paulo, Sofia e Miami -, empregados de oito nacionalidades e trabalha com centros de estudos do consumidor em Tóquio, Washington e Estocolmo.

Mas o que José Filipe faz - branding -, é ainda algo pouco conhecido do público e mesmo das empresas. E o que ele deseja fazer - country branding, ou seja, trabalhar a marca de países -, é qualquer coisa ainda mais recente, com raros especialistas. José Filipe trabalha marcas, muitas delas portuguesas, como a Renova ou a Delta. E agora, ambiciona que o sucesso que teve com essas companhias, se transporte para as suas contas com países - trabalha com a região de Madrid, Espanha, Bulgária, e Letónia.

Num restaurante da capital espanhola, aponta para a primeira página do El País, que anuncia como os trabalhadores portugueses, despedidos de fábricas de têxteis falidas, procuram trabalho no outro lado da fronteira. Um deles dizia: "É uma tristeza, aqui não há esperança." José Filipe estava incomodado: "É isto que não quero que aconteça, se estas empresas tivessem trabalhado as suas marcas esta gente tinha emprego. Não quero que os portugueses tenham de vir apanhar morangos em Espanha."

José Filipe cresceu entre o Estoril e uma quinta em Ourém. Nunca estudou na universidade e, aos 18 anos, cortava papel na agência de publicidade Novo Design (Brandia). Mas começou a interessar-se pelo trabalho dos designers e os responsáveis da empresa perceberam o seu potencial - ajudaram-no a estudar em Nova Iorque e Londres. Começou então a procurar emprego na capital inglesa.


Ler Artigo Completo(Pág.1/2) Página seguinte
Patrocínio
 
0Visualizações
0Impressões
0Comentários
0Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 


PUB

Especiais

Recuar
Avançar
Coleção DN 150 anos - DN Destaque
BT Edições Multimédia
Epaper



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Como classifica a entrevista do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, ontem à RTP?

Muito boa
Boa
Medíocre

Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper