Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


cidades

Pinceladas de crianças recriam obras de Picasso

por

Joana Pinheiro  

"Quem é o Picasso? Ele era mesmo um pintor? É que estes quadros parecem de uma criança." Aos seis anos, o Zé Maria fala sobre pintura com um à-vontade impressionante. Percorre os diversos quadros da exposição "Picasso. El Contemplador Activo", na Galeria de Arte dos Paços do Concelho de Torres Vedras em passo acelerado. "Esta mulher tem dois olhos esquisitos, a cara é azul e o cabelo verde", diz com um ar interrogativo, apontando para Marie- -Thérèse Walter. "O Picasso não devia saber pintar", sublinha. À primeira vista, o artista poderia ficar ofendido com a afirmação, mas, afinal, o que ele queria mesmo era pintar como as crianças. "Quando tinha a idade delas desenhava como Rafael, depois tenho passado a vida a tentar desenhar como as crianças", escreveu.

Cinco telas - Guernica, Três Músicos, Marie-Thérèse Walter, A Família de Saltimbancos, Mulheres Correndo na Praia - serviram de mote para uma outra exposição que decorre, em paralelo, no mesmo espaço. "A Mala de Picasso" reúne 17 recriações de alunos do 1.º ciclo do ensino básico de Torres Vedras.

"Destas três reproduções da Guernica, qual é que gostam mais?" Patrícia Sobreiro, coordenadora do serviço educativo dos Paços do Concelho, lança a pergunta, numa visita guiada pelas "obras de arte" dos mais novos. Os olhares curiosos procuram decifrar os símbolos. "Este está mais parecido com o original, as cores e os desenhos são idênticos", refere a Laura, apontando para a tela pintada pelos meninos da EB1 de Casalinhos de Alfaiata. Mas as opiniões dividem-se, enquanto analisam cada quadro ao pormenor.

Depois da visita guiada, o atelier, coordenado por Patrícia Sobreiro, reserva mais descobertas. Sentadas em redor de uma mala, as crianças procuram adivinhar o que conterá a mala de Pablo Picasso, a tal que dá o nome à exposição. "Sabem o que é isto?", pergunta Patrícia Sobreiro, pegando num velho pincel manchado de tinta. "É um dos originais do Picasso", afirma, suscitando expressões incrédulas nos rostos das crianças. Com cuidado, Maria examina detalhadamente o valioso objecto. "Nem acredito que estou a tocar no pincel preferido do pintor mais famoso do século XX", exclama, extasiada. Todos querem ver de perto o pincel mágico que coloriu Les Demoiselles d'Avignon.

"Mas como é que conseguiste arranjar um pincel original?", questiona a Maria. "Se calhar alugou-o num museu", sugere a Inês. "Vou contar-vos um segredo: o Picasso tinha sete malas guardadas no sótão da sua casa de Marselha, em França, sete malas que o acompanharam ao longo da vida. Antes de morrer pediu ao filho mais velho que as distribuísse por sete países. O Pablo queria que fossem entregues a pessoas que falassem da sua vida e dos seus quadros às crianças. E uma delas veio para Portugal", revela Patrícia.


Ler Artigo Completo(Pág.1/2) Página seguinte
Patrocínio
 
0Visualizações
0Impressões
0Comentários
0Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 


PUB

Especiais

Recuar
Avançar
Continente UVA D'OURO 2014 DN 300x100
Epaper



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Concorda com a formação de turmas de nível, que separam os bons dos maus alunos?

Sim
Não
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper