Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


Malaysia Airlines

Malásia desmente ter achado destroços do avião

por Lusa  

Malásia desmente ter achado destroços do avião
Fotografia © REUTERS/Malaysian Maritime Enforcement Agency

As autoridades desmentiram hoje que tenham sido encontrados restos do avião desaparecido no sábado, tal como informaram fontes do Vietname, enquanto procedem com a investigação "sem descartar nenhuma possibilidade".

O diretor geral do departamento de Aviação Civil, Azharuddin Abdul Rahman, disse que 24 aviões e 40 barcos do Vietname, China, Singapura, Estados Unidos, Indonésia, Tailândia, Austrália e Filipinas participam nas operações de busca no Golfo da Tailândia. "Lamentavelmente, não encontrámos nada que pareça ser do avião nem mesmo o avião", disse Azharuddin, em conferência de imprensa transmitida pelo canal malaio TV1.

Azharuddin desmentiu, em concreto, as informações procedentes do Vietname que, na noite de domingo, indicaram que um avião de reconhecimento vietnamita tinha avistado, a sul de Tho Chu, o que pareciam ser, da perspetiva aérea, destroços de uma aeronave. "Estas informações não foram atestadas hoje oficialmente pelas autoridades do Vietname", disse o dirigente da Aviação Civil da Malásia. Azharuddin confirmou que várias amostras do combustível recolhidas no mar foram enviadas para laboratório para esclarecer se procedem do B-777 desaparecido no passado sábado. Entretanto, agências de serviços de informação de vários países participam numa investigação que visa clarificar se houve uma eventual mudança de rota. Azharuddin frisou que nenhuma hipótese é descartada incluindo a de um eventual sequestro ou ataque terrorista. "Precisamos de provas, de restos do avião para determinar o que é que aconteceu", afirmou, qualificando o caso como um "mistério sem precedentes na aviação".

Segundo Azharuddin, os especialistas estão a analisar as gravações e vídeos de um circuito interno de televisão de dois passageiros que embarcaram no avião com passaportes roubados. Em causa, os passaportes do italiano Luigi Marald e do austríaco Christian Kozel, os quais foram furtados em 2013 e 2012, respetivamente, na Tailândia, de acordo com dados confirmados pela Interpol. Azharuddin não confirmou, porém, se os passageiros que utilizaram os passaportes falsos tinham traços asiáticos, como indicou, horas antes, o ministro do Interior da Malásia.

O mesmo responsável indicou também que se encontram a ser investigados os casos de outros cinco que não embarcaram. A bordo do avião, que partiu de Kuala Lumpur às 00:41 locais (16:41 de sexta-feira em Lisboa) rumo a Pequim, seguiam 239 pessoas, incluindo menores e 12 membros da tripulação, de 14 nacionalidades.


Patrocínio
 
4346Visualizações
4Impressões
14Comentários
0Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 
RELACIONADO
 
TAGS
 
Comentar

Caracteres disponíveis: 750

Receber alerta de resposta Aparecer como Anónimo
Lembrar dados pessoais
  • Comentar

Nota: Os comentários deste site são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Consulte a Conduta do Utilizador, prevista nos Termos de Uso e Política de Privacidade. O DN reserva-se ao direito de apagar os comentários que não cumpram estas regras. Receber alerta de resposta - será enviado um alerta para o seu e-mail sempre que houver uma resposta ao seu comentário. Aparecer como anónimo - os dados (nome e-mail) são ocultados. Os comentários podem demorar alguns segundos para ficarem disponíveis no site.

Se tem conta, faça Login

Email

Password

Legenda

Utilizador RegistadoUtilizador Registado    Utilizador Não RegistadoUtilizador Não Registado





PUB

Especiais

Recuar
Avançar
BT Edições Multimédia
Continente UVA D'OURO 2014 DN 300x100
Epaper



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Acredita que Portugal pode ter um cargo de topo na Comissão Europeia?

Sim
Não
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper