Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


São Tomé e Principe

Presidente são-tomense demite Governo de Trovoada

por Lusa, publicado por Graciosa Silva  

O presidente são-tomense, Manuel Pinto da Costa, demitiu hoje o XIV Governo constitucional chefiado por Patrice Trovoada, líder do partido Ação Democrática Independente (ADI).

Num decreto assinado na terça-feira à noite, mas só tornado público às primeiras horas de hoje devido a um "apagão" que afetou São Tomé, Pinto da Costa refere que "o Governo ora demitido continua em exercício até à tomada de posse do novo primeiro-ministro".

O decreto presidencial que demitiu o executivo de Patrice Trovoada foi divulgado após de uma comunicação à nação feita na terça-feira à noite pelo Presidente da República, em que anunciou o convite para a ADI formar um novo governo.

"Infelizmente, e apesar de todos os esforços e do meu total empenho pessoal através da magistratura de influência que cabe ao Presidente da República e concretizando a recomendação saída do Conselho de Estado, não foi possível conseguir que os partidos políticos chegassem a um entendimento que salvaguardasse o interesse do país, a estabilidade e a credibilidade externa do país", justificou Pinto da Costa.

O Presidente são-tomense disse continuar convencido de que "é possível ultrapassar, com o mínimo custo para o país a crise política e dar, mais uma vez, um sinal claro" de que todos estão à altura para "ultrapassar todas as dificuldades", uma referência às exigências da ADI, que reclama eleições antecipadas para "clarificar a situação política" no arquipélago.

Pinto da Costa considerou que São Tomé e Príncipe vivia uma situação de "verdadeira anormalidade e que impunha que se agisse".

"Excecionalmente, o país foi surpreendido com a renúncia, feita através dos órgãos de comunicação social, do presidente da Assembleia Nacional, que, dessa forma, lavou as mãos, como Pôncio Pilatos, deixando a Assembleia entregue à sua sorte", disse Pinto da Costa na sua mensagem a nação.

Pinto da Costa acusou também "todos os partidos políticos" de quererem "retirar dividendos de acordo com os seus interesses particulares de modo a atingir os seus objetivos".

"Surpreendentemente, e apesar do apelo à responsabilidade, à humildade, ao sentido de Estado e aos valores patrióticos que fiz na comunicação ao país, constatei que ninguém quis entender que, no mínimo, se impunha um pedido de desculpas ao povo pelo mau exemplo de cidadania dado por quem, por ocupar cargos políticos, de tão grande relevância, tem uma fidelidade acrescida a deveres e valores éticos que em nenhuma circunstância deviam ser esquecidos", concluiu.

Na sequência da decisão do Presidente da República, o partido ADI convocou uma manifestação de protesto na capital são-tomense, para as 15:00 locais de hoje (mesma hora em Lisboa), para exigir a realização de eleições antecipadas.

Artigo Parcial

Patrocínio
 
3220Visualizações
6Impressões
1 Comentário
2Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 
Comentar

Se tem conta, faça Login

Email

Password




PUB
PEPE Jornadas Empreendedorismo Turismo - DN Destaque

Especiais

Recuar
Avançar
TSF Superbrand - DN destaque
BT Edições Multimédia
Epaper



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Concorda com a aproximação entre Estados Unidos e Cuba?

Sim
Não
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper