Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


Mohammed VI

Rei defende aprofundamento das reformas em Marrocos

por Texto da Agência Lusa, publicado por Patrícia Viegas  

O rei Mohammed VI de Marrocos apelou hoje à prossecução da reforma da justiça e da instauração da regionalização, que classificou como prioridades, num discurso à nação por ocasião do 13.º aniversário da sua entronização.

Marrocos deve continuar a ser "um modelo de fidelidade ao Islão sunita que valoriza uma sociedade justa e tolerante e condena o extremismo, o fanatismo e o ostracismo", afirmou.

"A justiça, a regionalização e a governação territorial estão no topo das nossas prioridades", disse o rei no discurso.

Mohammed VI, que lançou em março um programa para a reforma da justiça, recordou que a nova Constituição, adotada há um ano, "coloca a reforma da justiça no centro do seu dispositivo", o que faz com que "estejam reunidas as condições para garantir o êxito desta grande tarefa".

O rei apelou, nesse sentido, à comissão encarregada dessa reforma que trabalhe "com toda a independência (...) para apresentar no prazo mais curto recomendações práticas".

Sobre a regionalização, que quer aplicar através de um projeto de descentralização, o rei afirmou que ela constitui uma "grande empreitada".


Ler Artigo Completo(Pág.1/2) Página seguinte
Patrocínio
 
1082Visualizações
5Impressões
3Comentários
0Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 
Comentar

Se tem conta, faça Login

Email

Password




PUB
NOS ConferênciaPrémioInovaçãoNOS - DN Destaque

Especiais

Recuar
Avançar
PEPE Jornadas Empreendedorismo Turismo - DN Destaque
BT Edições Multimédia
Epaper



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Pensa que as taxas de juro negativas são boa notícia para as famílias portuguesas?

Sim
Não
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper