Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


Conselho de Segurança

Portas e homólogos da CPLP pedem intervenção da ONU

por DN.pt com Lusa  

Paulo Portas
Paulo Portas Fotografia © Steven Governo / Global Imagens

O ministro dos Negócios Estrangeiros português, Paulo Portas, apelou esta noite ao Conselho de Segurança da ONU o envio de uma força de manutenção de paz para a Guiné-Bissau.

Discursando em inglês, Portas afirmou ser necessária uma intervenção que garanta uma solução "completa" para o país que há uma semana sofreu um golpe de Estado.

Esta posição coincidiu com os apelos realizados hoje por todos os ministros dos Negócios Estrangeiros dos países lusófonos.

O próprio ministro dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau, Mamadu Djaló Pires, "implorou" no Conselho de Segurança o envio de uma "força de interposição" para o seu país.

"Venho implorar o envio de uma força de interposição para a Guiné Bissau, autorizada por este Conselho de Segurança", afirmou o ministro guineense numa reunião dedicada à crise política no país, resultante do golpe de Estado realizado por militares em 12 de abril.

Esta força, solicitou, deve ter "um vasto mandato e um período dilatado, por forma a definitivamente virar a página e permitir a afirmação de um Estado de direito democrático na Guiné-Bissau", adiantou.


Patrocínio
 
2374Visualizações
11Impressões
8Comentários
0Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 
RELACIONADO
 
Comentar

Se tem conta, faça Login

Email

Password




PUB
NOS ConferênciaPrémioInovaçãoNOS - DN Destaque

Especiais

Recuar
Avançar
PEPE Jornadas Empreendedorismo Turismo - DN Destaque
BT Edições Multimédia
Epaper



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Demonstração de força do Podemos, em Espanha, significa que pode imitar vitória do Syriza?

Sim
Não
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper