Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


I Fórum Portugal-Alemanha

Perito alemão critica estratégia de Portugal para salários

por Lusa  

Um responsável do Instituto Alemão para Investigação Económica (DIW) considerou hoje que a estratégia para reduzir os custos do trabalho que Portugal está a levar a cabo não é a melhor por ser exclusivamente através da redução dos salários.

Falando à margem do "I Fórum Portugal-Alemanha", que hoje encerra em Lisboa, o chefe do departamento de macroeconomia do instituto DIW, Christian Dreger, reconheceu em declarações à agência Lusa que Portugal já alcançou "progressos significativos" no quadro do seu processo de reajustamento.

Como exemplo, este especialista referiu o facto de Portugal ter conseguido reduzir os custos unitários de trabalho "em cerca de cinco por cento".

Contudo, Christian Dreger vincou que essa redução "não foi conseguida em termos de produtividade, mas exclusivamente através da redução salarial".

"Essa é uma estratégia, mas não uma estratégia que corresponde propriamente à estratégia de crescimento da União Europeia, que preconiza uma aposta no crescimento inteligente", afirmou.

É por isso que a redução dos custos laborais é "só mais um elemento nos vários esforços" que Portugal tem de levar a cabo no quadro do seu processo de reajustamento, afirmou Dreger, que hoje participou no painel "Portugal e Alemanha: Parceiros na inovação e na competitividade num mundo globalizado".


Ler Artigo Completo(Pág.1/2) Página seguinte
Patrocínio
 
8913Visualizações
4Impressões
27Comentários
2Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 
RELACIONADO
 
Comentar

Se tem conta, faça Login

Email

Password




PUB
PEPE Jornadas Empreendedorismo Turismo - DN Destaque

Especiais

Recuar
Avançar




PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Justifica-se pagar 1500 euros para garantir médicos nas urgências no Natal e Ano Novo?

Sim
Não
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper