Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


Paredes de Coura

O rock de Anna Calvi e o buliço dos Gang Gang Dance

por Marcelo Pereira. Texto editado por Nuno Galopim  

Anna Calvi durante a sua atuação em Paredes de Coura
Anna Calvi durante a sua atuação em Paredes de Coura Fotografia © Rui Oliveira / Global Imagens

O sol voltou a brilhar em Paredes de Coura. E foram muitos os concertos que deixaram boas memórias no quarto dia. Entre os nomes a reter ficam os Gang Gang Dance, Of Montreal, School of Seven Bells, Crystal Fighters ou Anna Calvi.

O sol raiou em toda o seu esplendor sobre Paredes de Coura. O ambiente é mais descontraído (os campistas já esqueceram o infortúnio que lhes devastou o acampamento).

A tarde é inaugurada pelos Gang Gang Dance, o grupo norte-americano que visitou Portugal em 2011 (no Serralves em Festa) e prometeu voltar. Serviu mais uma dose do seu buliçoso rock experimental que pouco a pouco foi agitando o público com a enérgica dinâmica de Eye Contact, o álbum editado no ano passado. De seguida, são os coloridíssimos of Montreal (foto em baixo) que levam alvoroço os festivaleiros. A lendária banda (que já conta com onze álbuns editados e com um vasto coletivo de fãs por todo o mundo), incitou o público de Paredes de Coura com o seu indie pop electrizante. Ao som do fresquíssimo Paralytic Stalks, disco lançado em Fevereiro de 2012 e que conquistou uma boa posição no top norte-americano, os of Montreal romperam com qualquer vergonha e convidaram toda a gente a dançar ao som de uma pop psicadélica tão divertida quanto alucinada. Levam o honroso prémio de concerto mais vistoso do dia.

Mais tarde é Anna Calvi (na foto que abre este texto) quem vem dá brilho à noite, no registo cru e severo que já lhe é tão característico. Não obstante as comparações que lhe têm sido traçadas face a artistas como PJ Harvey ou Patti Smith, a cantora britânica dá um concerto absolutamente único, rico nas peculiaridades musicais que a destacaram: a rigidez do seu instrumental que dá vivas ao rock alternativo, a voz máscula e a encantadora postura perante a plateia. Naquele que foi o seu quarto concerto em Portugal (tendo sido o primeiro no Optimus Alive! do ano passado, e os outros dois no Hard Club no Porto e na discoteca Lux em Lisboa, respetivamente), o público pareceu não se cansar da aspereza algo melancólica do seu álbum homónimo, editado em 2011.

Leia o texto completo no blogue Fora de Estúdio


Patrocínio
 
2266Visualizações
1 Impressão
1 Comentário
0Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 
RELACIONADO
 
Comentar

Caracteres disponíveis: 750

Receber alerta de resposta Aparecer como Anónimo
Lembrar dados pessoais
  • Comentar

Nota: Os comentários deste site são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Consulte a Conduta do Utilizador, prevista nos Termos de Uso e Política de Privacidade. O DN reserva-se ao direito de apagar os comentários que não cumpram estas regras. Receber alerta de resposta - será enviado um alerta para o seu e-mail sempre que houver uma resposta ao seu comentário. Aparecer como anónimo - os dados (nome e-mail) são ocultados. Os comentários podem demorar alguns segundos para ficarem disponíveis no site.

Se tem conta, faça Login

Email

Password

Legenda

Utilizador RegistadoUtilizador Registado    Utilizador Não RegistadoUtilizador Não Registado





PUB
Continente UVA D'OURO 2014 DN 300x100

Especiais

Recuar
Avançar
Amazing Romance in Thailand - DN Destaque (Participação)
25 Abril Concurso de Fotografia
Epaper

PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Acha que Jorge Jesus vai conseguir fazer a dobradinha?

Sim
Não
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper