Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


Festival

Safira: arte no meio da planície

por Maria João Caetano  

Montagem do palco principal do Festival Safira
Montagem do palco principal do Festival Safira Fotografia © Direitos reservados

Uma herdade no Alentejo, perto de Montemor-o-Novo, é o palco do Festival Safira, onde a partir de hoje e durante todo o fim-de-semana haverá música, teatro, workshops, intervenções na paisagem - porque aqui a paisagem faz parte do programa.

A ideia para este festival foi do arquiteto paisagista Miguel Carrelo e da geógrafa Joana Coelho, proprietários do terreno, a quem, depois de uma primeira edição experimental, no ano passado, se juntou o coreógrafo e programador Rui Horta, do Espaço do Tempo.

Noiserv , DJ Pedro Passos, Aldara Bizarro, Rui Catalão, João Paulo Santos, Rui Caetano, Mundo Perfeito, You Can"t Win Charlie Brown, Vítor Rua e Marta Hugon são alguns dos artistas que integram o programa do Safira. Depois, há toda a parte de "land art", com intervenções visuais e sonoras na paisagem.

"Esta é uma herdade que era do meu avô e à qual estou muito ligado", explica Miguel Carrelo que, apesar de morar em Lisboa sonha com o dia em que possa sair da capital e viver no Alentejo. "Mas não sinto qualquer atração pela agricultura, por isso pus-me a pensar que outro tipo de utilidade é que podíamos dar àquela terra. É um sítio muito bonito e inspirador." A família construiu uma casa, começou a levar amigos e a planear festas, primeiros só com DJs, depois com bandas a atuarem ao vivo. "O espaço foi pedindo sempre mais." Entretanto, Miguel fez um curso de empreendedorismo e criação de empresas no ISCTE e no ano passado, pondo em prática os conhecimentos adquiridos, experimentou fazer uma espécie de festival, completamente amador. Convidaram amigos, não pagaram cachets, tiveram 400 pessoas em dois dias e perderam dinheiro. "Quando acabámos estávamos de rastos, convencidos de que não íamos voltar a fazer isto."

Mas Rui Horta apareceu lá, gostou do que viu e interessou-se pelo projeto. Trouxe todo o seu entusiasmo e uma equipa de produção. Este ano, o Safira já é um festival a sério. Mas diferente. Com palcos desenhados com fardos de palha e sobreiros, criados em função da sombra. Miguel Carrelo explica que num fim-de-semana só pode receber duas mil pessoas. "Não queremos ser um supermercado de música. Interessa-nos que as pessoas possam fruir do contacto com a natureza, que possam passear e até que se possam alhear, isolar-se, estar em sossego." Afinal, estamos no Alentejo.


Patrocínio
 
2895Visualizações
1 Impressão
1 Comentário
0Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 
Comentar

Caracteres disponíveis: 750

Receber alerta de resposta Aparecer como Anónimo
Lembrar dados pessoais
  • Comentar

Nota: Os comentários deste site são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Consulte a Conduta do Utilizador, prevista nos Termos de Uso e Política de Privacidade. O DN reserva-se ao direito de apagar os comentários que não cumpram estas regras. Receber alerta de resposta - será enviado um alerta para o seu e-mail sempre que houver uma resposta ao seu comentário. Aparecer como anónimo - os dados (nome e-mail) são ocultados. Os comentários podem demorar alguns segundos para ficarem disponíveis no site.

Se tem conta, faça Login

Email

Password

Legenda

Utilizador RegistadoUtilizador Registado    Utilizador Não RegistadoUtilizador Não Registado





PUB

Especiais

Recuar
Avançar
BT Edições Multimédia
Epaper
Ocasião/Zaask - Destaque 300x100 DN



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Pensa que Jorge Jesus devia entrar na lista para o prémio de Melhor Treinador do Mundo?

Sim
Não
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper