Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


Farmacêuticas

Queixas à Deco devido a preços de remédios aumentaram

por ANA TOMÁS RIBEIRO  

Queixas à Deco devido a preços de remédios aumentaram

A indústria receia redução de postos de trabalho. Farmácias não cumprem medidas de João Cordeiro sem a permissão dos médicos

Foram quase quatro mil medicamentos que ontem baixaram de preço, tal como o DN divulgou na edição desta quarta-feira. As reacções foram positivas. A própria Deco, associação de defesa do consumidor considera-as "boas e bem-vindas, sobretudo em ano de crise". Contudo, diz Jorge Morgado secretário-geral da Deco "estas diminuições de preços são tomadas em ano eleitoral. Esperemos que continuem no futuro".

Apesar disso, Jorge Morgado acha que "ainda se gasta mais do que devia em medicamentos em Portugal - quer o Estado em comparticipações quer os consumidores. E em parte graças ao facto de os médicos, por má informação ou por outras razões, não prescreverem o medicamento mais barato. É fundamental que estes profissionais interiorizem os preços praticados no mercado".

As queixas dos consumidores à Deco relativas a medicamentos, embora ainda escassas, têm vindo a aumentar nos últimos dois anos. Em 2007 foram 19 e no ano passado elevaram-se para 24. A maioria refere-se "ao preço excessivo"dos remédios e algumas delas são relativas à falta de informação na rotulagem e bula, explica a associação de defesa do consumidor.

A indústria farmacêutica também aprova a redução de preços em vigor, em prol dos doentes, mas receia que esta possa pôr em risco mais postos de trabalho no sector. Em comunicado enviado às redacções, a APIFARMA - Associação da Indústria Farmacêutica disse ontem que a revisão transitória do preço dos medicamentos que visa equipará-los à média dos praticados nos quatro países de referência da Europa - Espanha, França, Grécia e Itália - "assume particular relevância face ao contexto de crise que se vive actualmente". Mas "não pode deixar de ser considerada como um importante contributo da indústria farmacêutica portuguesa para o apoio às famílias e doentes em Portugal". E alerta para a "situação difícil que toda a cadeia do medicamento atravessa, motivada por um contexto económico adverso que tem implicado decréscimos no mercado sem precedentes. Sendo que estas baixas de preços implicam um esforço redobrado das empresas, que inevitavelmente contribuirá para o agravar da situação" É de recordar que a Indústria farmacêutica já reduziu em cerca de 2000 o número de postos de trabalho no sector.

O Governo, por seu lado, prefere falar das poupanças para o Estado, ao nível das comparticipações, e para o doentes. O primeiro ministro, José Sócrates disse ontem que o seu Governo deixará uma "marca social" na política do medicamento, apontando que ao longo dos últimos quatro anos o Estado e os consumidores já pouparam 726 milhões de euros nesta área.


Ler Artigo Completo(Pág.1/2) Página seguinte
Patrocínio
 
2032Visualizações
10Impressões
0Comentários
0Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 
Comentar

Caracteres disponíveis: 750

Receber alerta de resposta Aparecer como Anónimo
Lembrar dados pessoais
  • Comentar

Nota: Os comentários deste site são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Consulte a Conduta do Utilizador, prevista nos Termos de Uso e Política de Privacidade. O DN reserva-se ao direito de apagar os comentários que não cumpram estas regras. Receber alerta de resposta - será enviado um alerta para o seu e-mail sempre que houver uma resposta ao seu comentário. Aparecer como anónimo - os dados (nome e-mail) são ocultados. Os comentários podem demorar alguns segundos para ficarem disponíveis no site.

Se tem conta, faça Login

Email

Password

Legenda

Utilizador RegistadoUtilizador Registado    Utilizador Não RegistadoUtilizador Não Registado




Notícias
 

 

BE quer prescrição de medicamentos por substância activa

 

Medicamento mais vendido é para doenças do coração

 

Doentes de Alzheimer não têm genéricos

 

"Razão de justiça" genéricos gratuitos para pensionistas

 

Associação das Farmácias: Governo não está "capturado pelos interesses dos medicamentos de marca"

 

CDS-PP critica Governo por alterar política num curto espaço de tempo

 

PCP: comparticipação de genéricos a 100% é tardia

 

OM: medida sobre genéricos "muito positiva"

 

Genéricos gratuitos para um milhão de pensionistas

 

ANF quer avaliação da qualidade da prescrição médica

 

Campanha da ANF ainda não foi alterada

 

Dose excessiva é comum com troca de remédios

 

Ministra reafirma: receitas com "irregularidades" serão "devolvidas às farmácias"

 

Pedro Nunes: substituição não autorizada pode ser perigosa

 

Ministra admite alterar legislação sobre prescrição

 

Farmácias recorrem à justiça se Ministério não pagar

 

Associação de Farmácias suspende campanha

 

Empresas aliciam farmácias com promoções

 

CDS-PP insiste que conflito só se ultrapassa com nova lei

 

Remédios substituídos por farmácias sem comparticipação

 

PCP diz que polémica está ligada a interesses do Governo

 

Venda de genéricos sobe 4% em dois dias

 

Ordem dos Médicos ameaça com queixa judicial

 

Queixas à Deco devido a preços de remédios aumentaram

 

Substituição por genéricos avança contra vontade dos clínicos

 

Decisão do Governo afecta um milhão de idosos - Ana Jorge

 

Aumenta comparticipação de medicamentos genéricos

 

Eleições para a presidência da ANF arrancam hoje

 

Cinco anos depois, os medicamentos genéricos ainda são poucos e caros

 

Preço dos genéricos baixa em Outubro

 

Farmacêuticos falam em três mil despedimentos

 

Governo quer manter preço dos medicamentos

 

Médicos pedem regulação do mercado de genéricos

 

Médicos pedem regulação do mercado de genéricos

 

Genéricos podem atingir 50% do mercado

 

Quota de mercado

 

Apifarma não vai recorrer no processo contra Infarmed

 

Genéricos são 80% das seis substâncias mais receitadas

 

Mais mil fármacos de marca baixam preço

 

1865 genéricos vão baixar o preço em Abril

 

KRKA vai vender 10 milhões

 

Laboratórios queixam-se de violação de patentes

 

Providência cautelar

 

Tutela pode voltar a impor aumento zero para remédios

 

Portugueses poupariam 13% se genéricos atingissem 50%

 

Genéricos fazem perder quota

 
Opinião
 

 

Futuro dos medicamentos genéricos necessita de estabilidade legislativa

 
Galerias Fotos
 

 

As imagens da festa azul e branca em todo o país

 
Links úteis
 

 

Links e Vídeos

 



PUB

Especiais

Recuar
Avançar
BT Edições Multimédia
Epaper
Ocasião/Zaask - Destaque 300x100 DN



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Governo devia fiscalizar empresas que contratam enfermeiros abaixo da tabela?

Sim
Não
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper