Quase 10 mil portugueses em situação laboral irregular

Em 2011, a Autoridade para as Condições do Trabalho encontrou mais de seis mil contratos ilegais.

O "Jornal i" escreve que em mais de 4,6 milhões de portugueses a trabalhar, a Autoridade para as Condições do Trabalho encontrou quase dez mil em situação irregular, em 2011. Pouco mais de 0,2% da população activa portuguesa.

Os dados constam de uma resposta da ACT ao Partido Socialista que, em julho, enviou uma pergunta ao Ministério da Economia e Emprego onde pedia um ponto da situação ao combate à precariedade laboral levado a cabo no primeiro ano de executivo de Passos Coelho. Na resposta, os inspectores dizem que, no ano passado, acompanharam 15.837 empresas e nessas entidades encontraram "6152 contratados a termo, de forma ilegal", situações regularizadas depois da visita da Autoridade, garante a entidade. Ainda no campo das ilegalidades, os inspectores encontraram mais 316 pessoas contratadas temporariamente.

Além das ilegalidades detectadas, a entidade que inspeciona o fuincionamento do mercado de trabalho detectou mais de três mil irregularidades na contratação de trabalhadores. De acordo com os dados fornecidos aos socialistas, foram reveladas "1144 contratados de forma dissimulada" e "2000 trabalhadores" não declarados à Segurança Social.

Últimas notícias

Recomendadas

Contéudo Patrocinado

Mais popular