Passos Coelho integra no quadro "espião" acusado

João Luís, ex-agente do SIED acusado no caso das "secretas", foi integrado no quadro da Presidência do Conselho de Ministros e com o mesmo salário. Passos assinou o despacho antes de ir de férias.

O semanário "Sol" escreve que uma das últimas decisões de Passos Coelho, antes de ir de férias, foi assinar o despacho de integração do ex-espião do Serviço de Informações Estratégicas e de Defesa (SIED) acusado de devassa de vida privada do jornalista Nuno Simas, entre outros factos, nos quadros de pessoal a Presidência do Conselho de Ministros.

João Luís foi acusado em maio pelo Ministério Público dos crimes de acesso indevido a dados pessoais, acesso ilegítimo agravado e abuso de poder. João Luís era o homem da confiança do ex-diretor do SIED, Jorge Silva Carvalho, e já depois de este ter saído do cargo transmitiu-lhe informações, nomeadamente uma lista de telefonemas do jornalista Nuno Simas e um relatório sobre dois empresários russos.

João Luís foi exonerado de funções pelo diretor do SIED, no ano passado, quando o caso rebentou.

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular