MP desiste de último arguido no caso dos submarinos

As investigações por corrupção no caso dos submarinos tiveram dois arguidos, advogados, mas ambos escaparam a esse estatuto. Um graças ao Ministério Público, o outro por decisão da juíza Fátima Mata-Mouros.

Um antigo sócio da firma de advogados Sérvulo Correia & Associados, Bernardo Ayala, que assessorou o então ministro da defesa Paulo Portas nos contratos de aquisição e contrapartidas dos submarinos acaba de beneficiar de um despacho de arquivamento do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), segundo o "Jornal de Notícias".

Outro arguido que deixou de o ser foi Ricardo Guimarães, do mesmo escritório, que comparticipara na assessoria jurídica de uma forma relevante. O juiz Ricardo Alexandre confirmou o estatuto de arguido, a juíza desembargadora Fátima Mata-Mouros (agora no Tribunal Constitucional por indicação do CDS-PP) concluiu que o advogado tinha sido constituído arguido de forma irregular.

Últimas notícias

Mais popular