Fortuna de submarinos deixa rasto em offshore

Conta mistério recebe 19 milhões de euros. A 30 de dezembro de 2004, a Escom transferiu a verba milionária para uma conta nas Ilhas Caimão, um paraíso fiscal nas Caraíbas.

O "Correio da Manhã" escreve que três meses depois de o contrato de aquisição dos submarinos entrar em vigor, em 2004, a Escom UK, sociedade do Grupo Espítiro Santo, transferiu 19 milhões de euros para uma conta desconhecida no BES Cayman, sediado no paraíso fiscal das ilhas Caimão.

A operação, que aparece referida nos autos do processo dos submarinos, em investigação no DCIAP, ocorreu na mesma altura em que foram realizados vários depósitos, num valor superior a um milhão de euros, numa conta do CDS-PP num balcão do BES, o que reforça a suspeita de pagamento de subornos no negócio.

"A 30 de dezembro, a Escom UK transfere, da sua conta da sucursal de Londres do BES, o valor de 19 000 040 euros para conta desconhecida, com a referência BES Cayman", refere um documento incluído nos autos do processo.

O DCIAP suspeita que a Escom UK tenha recebido do consórcio alemão 30 milhões de euros, que terão sido usados para "pagamentos indevidos e como contrapartidas a decisores políticos e a grupos políticos envolvidos nas negociações".

Últimas notícias

Recomendadas

Contéudo Patrocinado

Mais popular