Custos elevados reduzem caçadores para metade

Época cinegética abre hoje com 137 mil pessoas autorizadas a caçar, menos de metade do que eram há uma década. Além dos custos elevados, a culpa será dos exames obrigatórios, escreve o Público.

A Federação Portuguesa de Caça (Fencaça) teme que o desaparecimento dos caçadores provoque, a breve prazo, o abandono dos campos, em virtude do encerramento de zonas de caça, e conduza a novo desordenamento do território.

"Os preços das licenças e da carta de caçador mas, sobretudo, os critérios utilizados nos exames obrigatórios, a respetiva calendarização e o facto de apenas existir um local por distrito para fazer os exames são as principais causas para a redução do número de caçadores", disse ao 'Público' o presidente da Fencaça, António Jacinto Amaro.

Últimas notícias

Recomendadas

Contéudo Patrocinado

Mais popular