Burlão em ala VIP da cadeia

Poucos dias depois de ter dado entrada na cadeia de Sintra, Artur Baptista da Silva foi logo transferido para a ala VIP do estabelecimento prisional.

Por estar na ala B1 - a mais recente e com melhores condições - beneficiava de mais tempo fora da cela e evitava os reclusos mais violentos. Segundo o "Correio da Manhã", neste setor os presos passam a maior parte do dia em regime aberto e só são obrigados a recolher às celas para dormir.

Mas Baptista da Silva vivia quase como se estivesse em liberdade. Numa cela solitária e com televisão, o recluso 160 tinha acesso aos jornais diários e aos livros da biblioteca, que levava às centenas para a cela. Na prisão, os reclusos são obrigados a usar apenas calças oficiais, mas o burlão andava sempre bem vestido. Visto pelos guardas profissionais como "educado", ficava zangado cada vez que não via um pedido satisfeito.

Últimas notícias

Mais popular