Bastonário considera "injusta" avaliação aos hospitais

José Manuel Silva, bastonário da Ordem dos médicos considera que a valiação peca, ela própria, por ser de fraca qualidade, induzindo em erro quem a lê.

O "Jornal de Notícias" escreve que a avaliação da qualidade dos hospitais ontem divugada pela Entidade Reguladora da Saúde (ERS), que dá nota máxima a apenas um terço das unidades, peca por ser, ela própria, de fraca qualidade, induzindo em erro quem a lê, acusa o bastonário da Ordem dos Médicos, José Manuel Silva. "Uma avaliação de qualidade é positiva, mas há problemas metodológicos" que enviesam a interpretação das conclusões, garante.

O caso do enfarte e do AVC é exemplificativo das "leituras simplistas" a que a análise conduz, diz. Apesar de o relatório não dar nota máxima a qualquer um dos serviços estudados, José Manuel Silva assegura que que Portugal tem nas áreas "centros de excelência". A análise "dá a ideia errada que só um terço dos hospitais tem a qualidade máxima, o que é injusto para o Serviço Nacional de Saúde e os privados", diz.

Últimas notícias

Mais popular