465 mil desempregados sem protecção social há 9 meses

Há três trimestres consecutivos que Portugal regista o valor mais alto de sempre em termos de desprotecção social. Por causa da explosão do desemprego, mas também da política social que cortou apoios.

O "Público" escreve que há três trimestres consecutivos que Portugal regista uma média de 465 mil desempregados sem protecção social, o valor mais alto de sempre. No segundo trimestre deste ano, esse grupo representava 56% dos desempregados estimados pelo INE, um valor semelhante ao já verificado em 2011.

O número dos desempregados sem apoio social é estimado a partir dos valores publicados pelo INE, comparados com números recentemente divulgados pela Segurança Social sobre a protecção no desemprego. Por isso, não tem em conta quem não esteja abrangido pelo conceito estatístico de desempregado, seguido na UE. Ou seja, não inclui os 90,7 mil pessoas que querem um emprego, mas não o procuram; os 217,4 mil interessados num emprego, mas que estão indisponíveis. De fora, também ficam os 261 mil trabalhadores em horário parcial e que gostariam de um completo (subemprego).

Nos últimos cinco anos verificou-se uma progressiva desprotecção dos desempregados, com duas explicações para essa tendência: por uma lado a expansão exponencial do desemprego, por outro, a política social seguida desde 2009, tanto pelo governo de Sócrates como pelo actual governo PSD/CDS, que condicionou a atribuição de apoios sociais.

Últimas notícias

Recomendadas

Contéudo Patrocinado

Mais popular