33 armas roubadas em campo de tiro

Quebra de segurança no Clube de Monsanto deixa escapar arsenal de carabinas de sniper para tiro de precisão, que matam a longa distância, e sobretudo caçadeiras para o mercado negro.

O "Correio da Manhã" escreve que depois das dezaseis armas de guerra que entraram no mercado negro em 2011, desviadas dos Comandos, na Carregueira, e aos Fuzileiros, na base naval do Alfeite, sem que a Polícia Judiciária Militar as consiga recuperar, estão agora mais 33 espingardas no circuito do crime violento, roubadas no último fim-de-semana do Campo de Tiro de Monsanto, em Lisboa. E entre elas há carabinas .22 para tiro de precisão, de sniper, que matam a longa distância.

A quebra de segurança dentro do Clube Português de Tiro está a deixar as polícias em alerta, pela quantidade de armas roubadas e pelas características das carabinas de calibre .22, que em treino servem para tiro de precisão, com alvo fixo, podem matar com facilidade a mais de 50 metros; e as caçadeiras, que nas carreiras servem para tiro ao prato, mas que, nas ruas, são as armas mais usadas em assaltos à mão armada a estabelecimentos.

Últimas notícias

Mais popular