Que impostos pagamos?

IRS
O imposto sobre o rendimento de pessoas singulares incide sobre todos os rendimentos dos cidadãos portugueses, seja o salário (muitas vezes pago com retenção na fonte) ou outras mais-valias. A taxa cresce em proporção ao montante dos rendimentos. Em 2010 terá rendido 9100 milhões de euros ao Estado.

IRC
Já o imposto sobre o rendimento das pessoas colectivas taxa todos os lucros de empresas e estabelecimentos comerciais, assim como outras pessoas colectivas com associações desportivas ou culturais. Estima-se que tenha dado 4297 milhões em 2010.

IVA
O imposto de valor acrescentado é o principal tributo sobre a despesa. Está presente em qualquer relação comercial. Tem três escalões: 23%, 13% e 6% (este aplicado a bens de primeira necessidade). É o imposto que mais rende ao Estado: em 2010 terão sido 12 149 milhões de euros.

IMPOSTO DE SELO

É cobrado sobre a despesa e sobre o património: todos os actos, contratos ou documentos (até transmissão gratuita de bens). Rendeu 1495 milhões de euros em 2010, segundo a estimativa estatal.

IMI
O imposto municipal sobre imóveis veio substituir a contribuição autárquica. É cobrado pelas câmaras municipais e varia consoante o valor que as finanças atribuem a cada casa.

IMT
O imposto municipal sobre as transmissões onerosas de imóveis também incide sobre as propriedades. É cobrado, por exemplo, numa compra e venda de casa.

ISP
O imposto sobre produtos petrolíferos e energético é o principal dos impostos especiais sobre o consumo. Está presente de cada vez que se atesta o depósito e terá dado 2423 milhões de euros ao Estado em 2010.


IT 
Outro dos impostos sobre o consumo é o imposto sobre o tabaco. É ele que encarece, consideravelmente, o acto de comprar um maço de tabaco. Estima-se que tenha rendido 1325 milhões de euros em 2010.

IABA
O imposto sobre o álcool e as bebidas alcoólicas é o menos lucrativo dos impostos sobre o consumo. 183 milhões de euros é o valor estimado do seu rendimento no ano passado.

ISV E IUC
Imposto sobre veículos e imposto único de circulação são os impostos que recaem sobre quem quer ter carro. O primeiro é pago por quem compra um veículo. O segundo é o conhecido "selo", pago anualmente por qualquer condutor. Ambos variam consoante a viatura em causa.

OUTRAS TAXAS
As outras contas (água, luz, gás) trazem mais despesa para o consumidor, sob a forma de taxa (recolha de resíduos, audiovisual, etc.).

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular