Eleições para a presidência da ANF arrancam hoje

Farmácias. Candidato da lista A pediu adiamento, mas o calendário não foi alterado

As eleições para a presidência Associação Nacional de Farmácias arrancam hoje, com o início da votação por correspondência. Uma das listas que vai a votos é liderada pelo actual presidente João Cordeiro (lista B); a lista A é liderada por João Ferro Baptista, candidato que sugeriu o adiamento do processo - marcado para dia 21.

A sugestão de adiar as eleições foi apresentada pela lista A ao presidente da Assembleia-geral da ANF por ser necessária uma discussão "consciente" pelos farmacêuticos do programa apresentado pela lista oponente, que "incentiva à desobediência civil" e ao "desrespeito do código deontológico".

O programa da Lista B, liderada por João Cordeiro, defende a "aplicação unilateral pelas farmácias", a partir de 1 de Abril, de medidas como a dispensa de medicamentos pela Denominação Comum Internacional (DCI) e do fármaco solicitado pelo doente dentro da mesma substância activa. A mesma lista inclui no seu programa a redução do stock de medicamentos genéricos das farmácias, a informação ao doente da diferença de preços e a importação paralela de medicamentos.

Alterações nos horários e a não aplicação da obrigatoriedade de dois farmacêuticos num quadro técnico igual ou inferior a quatro trabalhadores também integram o programa do actual presidente da ANF.

João Ferro Baptista diz que este programa foi "apenas" disponibilizado às farmácias na segunda-feira e tem como medida principal "incentivar as farmácias à desobediência civil". Em causa está a substituição do "receituário por genéricos, dando apenas opção ao utente de escolher entre genéricos". O objectivo principal da segunda candidatura de Ferro Baptista é a "devolução" da associação às farmácias. "A ANF deixou de ser uma associação e é um núcleo empresarial", criticou. "A associação serve-se das farmácias" .|

Últimas notícias

Recomendadas

Contéudo Patrocinado

Mais popular