Passos: Governo não está a cumprir acordo com a 'troika'

O líder do PSD acusou hoje o Governo de já não estar a cumprir com o objectivo que assinou com a 'troika' de reduzir o défice para 5,9 por cento no final do ano, continuando sem cortar na despesa.

"Ainda não passaram 10 dias desde que o Governo se comprometeu a atingir no final deste ano um défice de 5,9 por cento, quase mais um por cento do que ele disse que era capaz de fazer só com o PEC IV, e nós já não estamos a cumprir com o objectivo que ficou assinado no documento com a troika", afirmou o líder social-democrata, Pedro Passos Coelho, durante um comício em Almada.

Confessando estar preocupado com a situação, Passos Coelho lamentou que o executivo liderado por José Sócrates "não tenha a decência" de dizer que não fez aquilo que era necessário, nem cumpriu aquilo com que se comprometeu. Pelo contrário, acrescentou, no dia em que saíram os dados da execução orçamental, o Governo o que fez foi "vangloriar-se que baixou o défice". "Pois baixou, mas foi porque os portugueses pagaram os impostos, não foi porque o Governo tivesse cortado na despesa", salientou.

Na sua intervenção, o líder social-democrata recordou ainda a sua decisão de em Abril ter tomado a iniciativa de telefonar a José Sócrates para manifestar a disponibilidade do PSD para cooperar com o Governo para evitar que acontecesse em Portugal o que aconteceu na Grécia.

Sublinhando que o executivo "nunca agradeceu" essa disponibilidade do PSD, Passos Coelho lamentou que, ao contrário do seu partido que cumpriu aquilo com que se tinha comprometido, o Governo "não respeitou nunca um único compromisso que tivesse assumido" com os sociais-democratas ou com a comissão europeia.

"O resultado hoje está à vista: por mais que o Governo diga que mudaram os métodos contabilísticos para apurar o défice (...), o ano passado, o Governo deixou a despesa aumentar e, com isso, prejudicou Portugal", sustentou.

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular