Almada- "Fim da maioria absoluta CDU é um novo ciclo", Paulo Pedroso

O candidato do PS a Almada, Paulo Pedroso, considerou que "o fim da maioria absoluta da CDU é um ciclo que começa a terminar", falou em "derrota pessoal, não do partido" e prometeu "ajudar o PS a ganhar em 2013".

"20 anos depois, a CDU voltou a perder a maioria absoluta na Câmara Municipal de Almada (CMA), criando uma situação política completamente nova no concelho, em relação à realidade dos últimos 16 anos", afirmou o candidato perante uma sala repleta de apoiantes, depois de conhecidos os resultados oficiais.

Paulo Pedroso sublinhou que o resultado destas eleições, em que o PS obteve 23.86 por cento dos votos, contra 38.67 da CDU, "foi uma derrota pessoal, que não deve, de modo nenhum, ser atribuída ao PS".

O socialista, que garantira já assumir um mandato como vereador para "honrar compromisso", afirmou ainda estar "disponível para ajudar o PS a preparar uma candidatura muito forte para daqui a quatro anos", considerando "irrelevante", neste momento, saber se o candidato será ele ou "outro".

"O PS não deve cair do erro de, depois de cada eleição, apagar o trabalho anterior e recomeçar do zero", afirmou no entanto.

Na oposição, garantiu Pedroso, o PS "será o mesmo de sempre" e "fiel ao programa que negociou com os cidadãos".

"O Contrato com os Cidadãos e o Espaço Almada 2009 inauguraram uma forma participada de fazer política que me parece que seria errado abandonar, quando essa forma fez parte da mudança que leva a que a CDU tenha perdido a maioria", afirmou.      

Recorde-se que Paulo Pedroso afirmou, durante a campanha, que "não haveria vitória que não fosse vencer as eleições". Agora, garante, "o PS vai trabalhar para honrar o mandato que os eleitores lhe concederam".

Últimas notícias

Mais popular