Jerónimo de Sousa acusa Cavaco de ter responsabilidades na actual situação do país

O líder do PCP, Jerónimo de Sousa, criticou hoje o discurso do Presidente da República, considerando que Cavaco Silva não pode esquecer as suas próprias responsabilidades na "longa participação" na política portuguesa.

"O Presidente da República fez uma rasura histórica. Também tem responsabilidades nesta situação em que nos encontramos, tem uma longa participação em governos e em políticas e não pode fazer esquecer as suas próprias responsabilidades", afirmou Jerónimo de Sousa aos jornalistas, depois do debate com Paulo Portas, líder do CDS-PP, na RTP.

Comentando a comunicação ao país do Presidente da República, Jerónimo de Sousa disse que Cavaco Silva "usou um termo que de facto não corresponde à verdade", ao afirmar que "todos os portugueses vão fazer sacrifícios".

"Não é verdade. Os que mais têm e mais podem não vão fazer sacrifícios nenhuns, mas sim os que menos têm e os que menos podem", disse.

Durante o debate com o líder do CDS-PP, Paulo Portas, o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, já tinha deixado um reparo à intervenção do Presidente da República.

"Quando se fala em sacrifícios para todos, qual a contribuição dos que vão ser beneficiados com a intervenção externa?", disse, numa referência à banca.

Referindo-se ao apelo à poupança feita por Cavaco Silva, Jerónimo de Sousa sublinhou que metade das famílias tem um rendimento abaixo dos mil euros.

"Mas afirmar que vivemos acima das possibilidades, com caráter geral, quando olhamos para quem tem o salário mínimo nacional, com 50 por cento das famílias a ter rendimentos abaixo dos mil euros, é desses que o Presidente da República fala?", disse, afirmando, contudo, concordar com a necessidade sublinhando pelo Presidente de aumentar a produção nacional.

Últimas notícias

Mais popular