Quatro correspondentes da Al-Jazira prisioneiros em Trípoli

A cadeia de televisão do Qatar Al-Jazira afirmou sábado que quatro dos seus jornalistas, entre os quais um norueguês e um britânico, se encontram detidos pelas autoridades em Tripoli após a sua detenção no oeste da Líbia.

Segundo a televisão, os jornalistas Loutfi Massudi (tunisino) e Ahmad Val Ould el-Dine (mauritano), bem como os fotógrafos Ammar al-Hamdane (norueguês) e Kamel Ataloua (britânico) foram detidos "no exercício das suas funções" no oeste da Líbia.

Um responsável não identificado, citado pelo site de Internet da cadeia, atribuiu às autoridades líbias a responsabilidade pela segurança da equipa que actualmente se encontra detida em Tripoli. De acordo com a mesma fonte, entidades "regionais estão a desenvolver esforços para obter a sua libertação".

Em Oslo, o ministério dos Negócios estrangeiros confirmou ter sido informado pela Al-Jazira de que um jornalista de nacionalidade norueguesa "tinha sido detido por forças leais a Kadhafi na Líbia". "Fazemos tudo o que podemos para conseguir a sua libertação. Exigimos que ele e os seus colegas sejam imediatamente libertados e consideramos as autoridades líbias inteiramente responsáveis pela sua segurança", disse. De origem palestina, Ammar al-Hamdane, 33 anos, está estabelecido há vários anos na Noruega, país do qual obteve a nacionalidade.

Desde o início da revolta contra o regime de Muammar Kadhafi, a 15 de fevereiro, vários outros jornalistas estrangeiros estiveram em perigo na Líbia. As autoridades líbias detêm actualmente quatro outros jornalistas do New York Times dados como desaparecidos desde terça-feira no Leste da Líbia. O diário norte-americano tinha anunciado que estes quatro detidos seriam libertados na sexta-feira mas nenhum anúncio neste sentido foi feito.

Últimas notícias

Mais popular