Pentágono anunciou que EUA retiram os seus aviões de combate

O exército norte-americano retirou segunda-feira os aviões de combate envolvidos na campanha internacional na Líbia, anunciou o Pentágono, depois de Washington ter aceite no fim-de-semana prolongar os seus ataques durante 48 horas.

Inicialmente, os Estados Unidos tinham previsto retirar os seus aviões de combate e os seus mísseis Tomahawk do teatro de operações a partir do fim-de-semana, depois dos seus aliados da NATO terem assumido o comando das operações na quinta-feira. Mas domingo, Washington aceitou o pedido da NATO para efectuar ataques na Líbia até segunda-feira devido ao "mau tempo recente".

Desde as 23:00 de segunda-feira, mais nenhum avião de combate norte-americano levantou voo, anunciou o capitão Darryn James, um porta-voz do Pentágono, sublinhando que os aparelhos continuam prontos a descolar "no caso da NATO fazer um pedido". Entre as 23:00 de domingo e as 11:00 de segunda-feira, os aviões de combate norte-americanos efectuaram pelo menos dois raids, mas nenhum míssil Tomahawk foi disparado, acrescentou o capitão James.

A partir de agora o exército norte-americano não deve fornecer mais do que aviões destinados a efectuar abastecimentos em voo e missões de interferência e de vigilância.

Últimas notícias

Recomendadas

Contéudo Patrocinado

Mais popular