Kadhafi quer dialogar se rebeldes entregarem armas

O regime do coronel Muamar Kadhafi afirmou hoje que está disposto a dialogar com os rebeldes se eles entregarem as armas, adiantou o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, Khaled Kaïm.

"Eles [os rebeldes] devem entregar as armas. Eles podem depois participar num processo político", afirmou Kaïm, em conferência de imprensa, de acordo com a AFP. O Conselho Nacional de Transição, formado pelos insurgentes, "não representa a base popular na Líbia", disse, acrescentando que "haverá garantias em todo o processo político pela intervenção dos observadores da União Africana e da ONU capazes de dissipar qualquer dúvida".

O porta-voz do governo líbio, Moussa Ibrahim, afirmou na segunda-feira à noite que o regime estava preparado para negociar as eleições ou um referendo, salvaguardando, no entanto, que o afastamento de Kadhafi não é discutível.

A revolta popular contra Kadhafi, no poder há mais de 40 anos, começou em meados de fevereiro e culminou numa guerra civil que opõe as forças leais a Kadhafi aos rebeldes. Entretanto, em Março, as Nações Unidas aprovaram uma resolução e acabaram por intervir no terreno, numa coligação liderada pelos Estados Unidos, França e Grã-Bretanha.

Últimas notícias

Recomendadas

Contéudo Patrocinado

Mais popular