Presidentes da Argentina, Uruguai e Bolívia já chegaram

Os chefes de Estado da Argentina, Uruguai e Bolívia participaram esta quarta-feira, no cortejo fúnebre do Presidente venezuelano, Hugo Chávez, esperando-se ainda a chegada de muitos outros líderes da América Latina.

Cristina Fernández, José Mujica e Evo Morales foram os primeiros governantes a chegar a Caracas, para as iniciativas de homenagem que se iniciaram com um ato religioso breve, seguido do transporte do corpo do Presidente venezuelano do Hospital militar central até à Academia militar, onde sexta-feira decorrem as cerimónias fúnebres. Milhares de pessoas acompanharam o veículo com o caixão, coberto com a bandeira tricolor da Venezuela, o qual foi transportado em ombros por membros da Guarda de Honra.

Até ao momento, confirmaram presença nas exéquias os presidentes do México, Enrique Peña Nieto; do Equador, Rafael Correa; de Nicarágua, Daniel Ortega; das Honduras, Porfírio Lobo; de El Salvador, Mauricio Funes e o dominicano, Danilo Medina. De acordo com a Efe, o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, também irá participar no funeral.

Nas cerimónias estará também o chefe de Estado do Chile, Sebastián Piñera; do Brasil, Dilma Rousseff; do Panamá, Ricardo Martinelli, assim como os presidentes peruano e haitiano, Ollanta Humala e Michel Martelly, respetivamente. A presença dos antigos mandatários Fernando Lugo e Manuel Zelaya, do Paraguai e Honduras, respetivamente, foi também confirmada, escreve a Efe.

O governante da Guatemala, Otto Pérez, ainda não confirmou presença em Caracas, enquanto parece garantido que Laura Chinchila, da Costa Rica, não irá comparecer.

O Presidente do Irão, Mahmud Ahmadineyad, afirmou, na quarta-feira, citado pela agência oficial iraniana IRNA, que "provavelmente" participará no funeral do seu homólogo da Venezuela, principal aliado do país na América Latina.

O Presidente venezuelano, Hugo Chávez, morreu na terça-feira, em Caracas, quase três meses depois de ter sido operado pela quarta vez a um cancro, a 11 de dezembro de 2012, em Havana, e quase cinco meses depois de ter sido reeleito para o seu terceiro mandato, em 07 de outubro.

Chávez, que morreu com 58 anos, regressou à Venezuela em 18 de fevereiro, ficou internado no Hospital Militar de Caracas e não chegou a tomar posse como Presidente, ficando o lugar assegurado pelo vice-presidente, Nicolás Maduro, numa decisão autorizada pela Justiça venezuelana apesar dos protestos da oposição.

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Venezuela anunciou que Nicolás Maduro assumirá formalmente as funções de Presidente interino e que dentro de 30 dias haverá eleições.

Últimas notícias

Recomendadas

Contéudo Patrocinado

Mais popular