Milhares acompanharam cortejo fúnebre de Hugo Chávez

Sete horas depois de ter deixado o Hospital Militar de Caracas, o caixão com o corpo do Presidente Hugo Chávez chegou à Academia Militar, onde ficará em câmara ardente até ao funeral, sexta-feira.

Segundo as imagens da estação de televisão Telesur, o caixão do presidente que tinha começado o cortejo tapado apenas com a bandeira venezuelana, chega ao destino, 6,3 quilómetros depois, coberto de flores. A acompanhar o cortejo estiveram os filhos de Chávez e a sua mãe, Elena Chávez, assim como o vice-presidente venezuelano, Nicolás Maduro.

Frente ao cortejo, seguia um guarda de honra, que transportava uma réplica da espada de Simón Bolívar, o libertador das Américas que inspirou a revolução bolivariana de Chávez.

A trasladação foi acompanhada por milhares de venezuelanos nas ruas de Caracas, uma verdadeira maré vermelha chavista. O Governo decretou sete dias de luto, devendo as bandeiras permanecer a meia haste. O consumo de bebidas alcoólicas está proibido.

O funeral de Chávez decorre na sexta-feira, às 10.00 (14.30 em Lisboa). O ministro dos Negócios Estrangeiros português, Paulo Portas, interrompeu a sua viagem à Índia para representar o Estado português no funeral líder venezuelano.

Os presidente da Bolívia, Evo Morales, Uruguai, José Mujica, e da Argentina, Cristina Kirchner, já estão na Venezuela para prestar homenagem a Chávez. Morales acompanhou o cortejo fúnebre.

Últimas notícias

Recomendadas

Contéudo Patrocinado

Mais popular