Senhorio recusa alugar casa para Strauss-Kahn viver

Anne Sinclair, a mulher do ex-diretor-geral do FMI, alugou um luxuoso apartamento, mas quando o senhorio percebeu que quem ia lá morar era Dominique Strauss-Kahn o contrato ficou sem efeito.

De acordo com o jornal norte-americano New York Post, uma fonte informou que "pessoas de alto perfil residentes no edifício" se opuseram a passar a ter Strauss-Kahn como vizinho. Ao mesmo jornal, o agente imobiliário que rege o prédio disse que ninguém chamado Sinclair ou Strauss-Kahn tinha alugado um apartamento na torre de Luxo. No entanto, não adiantou mais detalhes.

A mulher de Strauss-Kahn procurou residência no luxuoso Bristol Plazza, desde que um juiz americano autorizou o ex-director do FMI a permanecer em liberdade condicional até ao fim do processo, mediante uma caução de um milhão de dólares. Mas quando a direcção do prédio soube que Strauss-Kahn, acusado de crime sexual contra uma empregada de limpezas, iria residir no edifício, anulou o contrato de aluguer.

Dominique Strauss-Kahn tem direito a aguardar julgamento por crime sexual em liberdade condicional com residência vigiada, mas teria ainda de arranjar um apartamento para morar antes de sair da prisão de Rikers. As restrições à liberdade condicional de DSK são muito severas, e incluem a presença permanente de um guarda armado à porta de casa.

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

Pub
Pub