11 de Março: o ataque terrorista em Madrid

Na manhã do dia 11 de Março de 2004 dez bombas explodiram em quarto comboios que faziam a ligação entre Alcalá de Henares e a estação madrilena de Atocha. 191 pessoas morreram na altura, milhares ficaram feridas, com maior ou menor gravidade. Os principais autores dos atentados suicidaram-se, um mês depois, no apartamento do bairro madrileno de Leganés em que estavam escondidos desde o ataque.

A maioria dos restantes envolvidos foram condenados, em 2007, a penas máximas de prisão. Mas o alegado cérebro do ataque, Mohamed, o Egípcio, detido em Itália, foi absolvido das acusações por não haver provas consistentes contra si. A justiça espanhola considerou provada a ligação à Al-Qaeda e afastou definitivamente uma relação com a ETA.


Apesar da acção contraterrorista os sucessivos relatórios sobre segurança, em Espanha, referem que o país continua a ser um alvo dos terroristas islâmicos, nomeadamente aqueles que estão agrupados na chamada Al-Qaeda para o Magrebe Islâmico. O objectivo, dizem, é recuperar o Al-Andaluz, zona da Península Ibérica que, até ao século XV, era árabe. No seu entender uma terra uma vez muçulmana é para sempre muçulmana.

Últimas notícias

Mais popular