Empresas públicas terão liberdade para decidir onde cortar

O ministro das Finanças anunciou hoje no Parlamento que as empresas públicas vão ter a liberdade de decidir onde vão cortar 5% do total da massa salarial, embora esta decisão tenha de ser ratificada por Teixeira dos Santos.

À margem do debate do Orçamento do Estado para 2011, Teixeira dos Santos esclareceu que "haverá um corte nas despesas com remunerações em 5%" e que as "administrações [das empresas públicas] vão ter de decidir" em que termos é que vão ser efectuadas.

Nas empresas públicas, a decisão de onde vão ser feitos os cortes salariais é definida pela administração, "com aprovação do ministro das Finanças", sublinhou Teixeira dos Santos.

Esta é uma decisão que "está sujeita à autorização do ministro das Finanças", repetiu o governante. Teixeira dos Santos explicou que a estrutura das empresas públicas é diferente da administração pública.

Últimas notícias

Mais popular