Ascenção e queda do 'Zeca Diabo'

Oliveira e Costa ia de bicicleta para o primeiro emprego, mas alcançou outra velocidade. Esta é a história do bancário "autoritário e desconfiado" (diz quem trabalhou com ele) que só queria "criar riqueza para o bem da sociedade".

"Eu, na vida, sempre preferi ser invejado do que lastimado." Dez anos depois, a frase cola-se, com ironia, ao perfil de José Oliveira e Costa. O rapaz que ia para o trabalho de bicicleta, mas depressa se tornou o ministro do carro desportivo "berrante" e no banqueiro "de sucesso" mais badalado do País, era invejado, sim. Mas dele pouco resta. Hoje, caído em desgraça, o homem "centralizador e autoritário" é lastimado pelos poucos que dele aceitam falar. E deixa uma grande história para contar.

Leia mais no e-paper do DN.

Últimas notícias

Recomendadas

Contéudo Patrocinado

Mais popular