Oliveira e Costa vai manter-se em prisão preventiva

O antigo presidente do BPN e da Sociedade Lusa de Negócios José Oliveira e Costa vai manter-se em prisão preventiva, disse à agência Lusa fonte do escritório de advogados que o representa.

"Fui notificado [da decisão de manter a prisão preventiva] hoje às 16:00, mas não lhe posso dizer quais as razões invocadas" pelo juiz, disse à Lusa o advogado de Oliveira e Costa, Leonel Gaspar.

Questionado sobre o estado de saúde de Oliveira e Costa, o advogado respondeu: "continua doente".

O jornal Público, que avançou hoje à tarde a notícia, escreveu que o juiz encarregue do caso, Carlos Alexandre, deferiu quarta-feira um requerimento para ser declarada a "excepcional complexidade" do processo.

O despacho, escreveu o jornal, "foi proferido no dia em que se completavam seis meses após a detenção do banqueiro".

Segundo o jornal, Oliveira e Costa, até agora o único detido no "caso BPN", "poderá ficar em prisão preventiva até ao próximo dia 21 de Novembro de 2009".

Esta "excepcional complexidade" obriga o Ministério Publico a deduzir a acusação ao fim de um ano da prisão preventiva do arguido, e não nos seis meses que agora se completam.

Oliveira e Costa está a ser investigado pela justiça por suspeitas de que tenha cometido crimes de administração danosa, fraude qualificada, burla e falsificação dos documentos.

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular