Nuno Melo acusa PS de proteger Constâncio

O cabeça de lista do CDS-PP às eleições europeias, Nuno Melo, insurgiu-se ontem contra a marcação para dia 8 da audição do governador do Banco de Portugal, Vítor Constâncio, na comissão parlamentar que investiga o caso BPN.

A marcação daquela data “visa prejudicar o bom contributo que o CDS estava disposto a assegurar”, explicou o deputado e membro da comissão. “O objectivo é cirúrgico”, disse. Nuno Melo acusou o Partido socialista de estar a proteger o governador do Banco e Portugal, entidade responsável pela supervisão bancária. Pretende-se “evitar que o País perceba a forma clamorosa como a supervisão falhou”. Nuno Melo reconhece que no dia seguinte às eleições não estará nas melhores condições para participar na comissão, pois não terá tempo de preparação, mas garantiu que “o PS não conseguirá o que quer”.

No final desta declaração, e a propósito de uma pergunta sobre o relatório da comissão que já estará a ser preparado, o líder do CDS-PP Paulo Portas acrescentou que a perda de 2500 milhões de euros não é “negligência”, a palavra que se pretende colocar no documento final da comissão, “mas falha grave”.

Últimas notícias

Recomendadas

Contéudo Patrocinado

Mais popular