Apenas uma claque legal nos últimos dez anos

"O saldo é altamente positivo." A frase, proferida ontem por Laurentino Dias, expressa bem a satisfação do secretário de Estado da Juventude e do Desporto sobre os avanços registados quanto à actual situação das claques de futebol organizadas.

Nos últimos dez anos (desde 1997), apenas a Torcida Verde, grupo afecto ao Sporting, estava em sintonia com a lei aplicável. Mas, actualmente, são já quatro as claques que cumprem a regulamentação legal. Três outros grupos têm já os respectivos processos quase concluídos e outras quatro claques deram igualmente início aos seus processos.

"As claques têm de estar registadas e o Governo não aceita que os clubes, as SAD e os adeptos continuem a viver na ilegalidade", começou por afirmar Laurentino Dias, numa reunião do Conselho Nacional contra a violência no desporto. "Existem, neste momento, quatro claques com o processo de regularização completo. A Torcida Verde [Sporting], o Directivo Ultras XXI [Sporting], a Associação SuperDragões e a Associação Colectivo Ultras 95 [ambas do FC Porto]", revelou. Laurentino Dias acrescentou ainda que a Juventude Leonina (Sporting), a Associação Panteras Negras (Boavista) e o VIII Exército (V. Setúbal) estão com os processos em "finalização". E contou que Diabos Vermelhos (Benfica), Frente Leiria (U. Leiria), Magia Tricolor (E. Amadora) e Colectivo Maravilhas Associação (Naval) "já deram início" aos processos. O dirigente apelou às outras claques para se registarem nos próximos 30 dias, sob pena de as mesmas deixarem de funcionar.

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular